segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Crônicas De Segunda Na Usina: A Casa de Deus:


“Sem porta ou janela, só uma passarela para que sempre possamos todos passar por ela, Com varanda, e grande sala é bom o cheiro que dela exala por todo lugar.
Construída em carne e osso, tem até pescoço, pra sustentar estas cabeças que pouco pensa, tem pernas e braços para aquele abraço de boas vindas a todos que chega sem se preocupar se vai entrar ou sair, o importante é sentir todo aquele amor que aqui está.
Ela é de muitas corres, e de muitos amores, de fachada alegre, não tem quem não pegue uma bela flor neste seu jardim cheio de jasmim.
O telhado é extenso e foi feito um pouco penso para contrastar com tudo que há ao redor as fezes da até um nó no nosso pensar, que aquilo lá é como a vida, cheio de avenidas pra muitos passar.
O seu piso é perfeito sem nenhum defeito pra todos andar. Se você não enxergar ou não tem pernas isso não importa, pois sempre haverá um lugar por onde você entrar.

A cozinha é modesta mais é sempre uma festa quando lá está.
O banheiro é pequeno mais também é sereno de cor agradável e teto singelo é todo amarelo como o por do sol....

D'Araújo.

Conteúdo do livro: Calabouço Contos e outros.


Nenhum comentário:

Postar um comentário