domingo, 11 de setembro de 2016

Domingo Na Usina: Biografias: Eduardo Caballero Calderón:



 (Bogotá, 6 de março de 1910 - Bogotá, 03 de abril de 1993) era um renomado escritor e jornalista colombiano.

Biografia:

Eduardo Caballero Calderón foi romancista, jornalista, ensaísta, diplomata e político colombiano dotado de uma prosa fácil e clara, que estava ligado ao jornalismo em 1938 e durante anos usou o pseudônimo Swann. Ele era o filho do general liberal Lucas Caballero, irmão do escritor e jornalista Lucas Caballero Calderón, também conhecido como Klim, e pai do pintor Luis Caballero, o jornalista Antonio Caballero e escritor Beatriz Caballero que usou seu treinamento experiências diplomáticos de seu pai em Madrid (1946-1948) e Paris (1962-1968) O primeiro jornal oficial, onde ele escreveu era The Spectator, mas logo estava ligado ao El Tiempo, onde assumiu uma coluna para quase todos sua vida, assinado coluna sob o pseudônimo de Swann, e que o levou a dirigir, anos mais tarde, o suplemento literário do jornal. Eduardo Caballero Calderón sempre foi identificado por sua rigidez e domínio da técnica ao escrever. Seu estilo impecável, que dominou o ensaio como seu gênero preferido, leva-o a mencionar, em suas obras, suas experiências como um político e diplomata. Ele ocupou cargos diplomáticos em Lima, Madrid, Buenos Aires e Paris; foi embaixador da Colômbia junto à UNESCO; adjunto das Assembléias de Boyacá e Cundinamarca; Representante Câmara e prefeito de Tipacoque, Boyaca.

Trabalho publicado
Novel
A arte de viver sem sonhar (1943)
Cristo volta (1952)
Servo Sem-Terra (1954)
O tempo penúltimo (1955)
Manuel Pacho (1962)
A Noble Savage (1966) Prêmio Nadal de 1965
Cain (1968)
Chicote sapo (1975)
A Tale of Two Brothers (1977)
Teste, crônica, jornalismo e outra prosa de não-ficção [editar]
Estradas subterrâneas: ensaio de interpretação da paisagem (1936)
Tipacoque, gravuras provinciais (1940)
América do Sul terra Man ​​(1942)
América Latina: um mundo para fazer (1944)
O novo ensaio príncipe em más paixões (1945)
Breviário de Don Quixote (1947)
Letras da Colômbia (1949)
Broad é Castela (1950)
Journal of Tipacoque (1950)
Americano e europeu (1956)
História Privada de Colômbia (1960)
Camponeses (1962)
Tipacoque de ontem para hoje (1979)
Hablamientos e pensadurias (1979)
Memórias
Memórias da infância (1964)
Eu, o prefeito: sonho uma aldeia, em seguida, governá-lo (1972)
Literatura Infantil
A história de Tales (1953) [quatro volumes: Vol.1 (Os filhos dos porcos sol pastor; A traição de Francisquillo); Vol.2 (Child Admiral, o Rei de Roma; o cavalo Bolivar); Vol.3 (Tudo por um vaso; O soldado trombeta; O soldado sapateiro) Vol.4 (A estrela de Ismael; A filha de Jairo, A Paixão Segundo a filha de Jairo)
Bolívar: uma história que parece uma história (1983)
A Pedra Filosofal (2001)
Histórias
A história não pode ser contada e Outras Histórias (1981)
Co-autoria
Rabo de palha (1962) (Com: Lucas Caballero Calderón e Enrique Caballero Escovar)
Seleções e antologias de suas obras [editar]
Works (1963) [Três volumes. Conteúdo: Vol 1 (americanos e europeus, América do Sul, a terra do homem, Broad é Castela Breviário de Don Quixote O novo príncipe) Vol 2 (América Latina, um mundo de fazer, letras colombianos; História privada dos colombianos, os camponeses .. ; prólogos e conferências) Vol 3 (Tipacoque ;. Journal of Tipacoque; Servo sem-terra O Cristo de volta; A arte de viver sem sonhar; A hora penúltimo)
Saga Tipacoque (1997) (Inclui: Tipacoque, gravuras e provincial Journal of Tipacoque)
Adaptações para cinema e televisão
O nobre selvagem (adaptado para a televisão pela RTI Television em 1968)
Cain (versão cinematográfica dirigida por Gustavo Nieto Roa em 1984)
História de dois irmãos (adaptado para a televisão pela RTI Television em 1984)
Cristo volta (adaptado como telepelícula por TVCine em 1987 e dirigido por Jorge Ali Triana)

Trivia Banda de rock colombiano Aterciopelados intitulado Servo sem-terra uma das canções do álbum El Dorado; Carta mostra o drama de um camponês sem-terra, em linha com o romance de Caballero Calderón que inspira.

Fonte de origem:

Nenhum comentário:

Postar um comentário