quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Poesia de Quinta Na Usina: Florbela Espanca: CRISÂNTEMOS:



Sombrios mensageiros das violetas, De longas e revoltas cabeleiras; Brancos, sois o casto olhar das virgens Pálidas que ao luar, sonham nas eiras. Vermelhos, gargalhadas triunfantes, Lábios quentes de sonhos e desejos, Carícias sensuais d´amor e gozo;
Crisântemos de sangue, vós sois beijos! Os amarelos riem amarguras,
Os roxos dizem prantos e torturas,
Há-os também cor de fogo, sensuais... Eu amo os crisântemos misteriosos Por serem lindos, tristes e mimosos, Por ser a flor de que tu gostas mais!

Nenhum comentário:

Postar um comentário