quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Poesia de Quinta Na Usina:D'Araújo:Doce relva:




O orvalho do amanhecer desliza sobre as perenes folhas em um ziguezague quase sinfônico.
 O belo bosque ao longe deixa sombrear a luz do sol que permeia a relva,
 contornando toda saliência daquele chão irregular.

Assim como, os meus doces sentimentos estremecem com o cheiro, 
e o sabor de fruta fresca da pele da mulher amada, 
que incendeia o ar límpido e frio da manhã.


O calor que resplandece do seu sorriso singular, 
ricocheteia em meu coração como uma bela canção, 
aquecendo o meu ser e acalentando o meu espírito tão inquieto.

Conteúdo do Livro:

Nenhum comentário:

Postar um comentário