quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Poesia de Quinta Na Usina: Acróstico: Suyane infinitamente minha:


Acróstico em poesia:
Sou em você o ser mais completo e mais perfeito
Uma combinação como se nunca estivéssemos separados

Ying e Yang girando até não se ver a distinção

Amantes autofágicos em nós mesmos inebriados
Nascidos a cada instante, a cada pulsar do coração,
Esquecidos do mundo, em nossos corpos entrelaçados.



Insistindo em ser eterno, nosso amor infinito

Não foi por acaso que nos reencontramos, mas
Foi por castigo por termos nos deixado a
Intensidade de tudo que sentimos agora.
Não me lembrava mais o que era a paixão
Inexpressivos estavam meus sentimentos
Também era inexpressiva para mim a solidão
Agora uma algoz me matando de saudades
Mata-me como se fosse uma falta de ar
E só a sua voz me faz de novo respirar
No silêncio da noite, tenho só a memória
Tenho a lembrança de cada detalhe e cada som
Então durmo sonhando com você, num sonho bom.



Muitos foram os caminhos que seguimos até agora

Incontáveis foram os amores que tivemos e esquecemos
Nada do que ficou para trás irá tirar a nossa glória
Hoje começamos uma nova vida, ainda que recomecemos.
Aqui se inicia a melhor parte da nossa história.



O texto acima forma a frase "Suyane infinitamente minha", que pode finalizar ou iniciar a leitura da poesia.
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre: 
Os acrósticos são formas textuais onde a primeira letra de cada frase ou verso formam uma palavra ou frase. Podem ser simples, com frases ou palavras que não tenham ligação entre si ou podem mesmo ser o encerramento de uma poesia

Um comentário: