quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Quarta Na Usina: Poetisas Da Rede: Cassandra Alpoim: ENTRANHAS:





Debato-me nas entranhas que me cumprem e nas
que se desenrolam no espírito na alma e no coração.
Penso que o momento é Deus embora não o saiba de
facto,estranho este Deus que pode ser escrito em minúscula
porque a grandeza do universo ,o infinito das galáxias são a
obra inexplicável,que a ciência descobre numa ponta para se
questionar depois.Silêncios de deus ,esquecimentos da terra
sofrida porque assim foi feita a vida numa dicotomia entre as
alegrias e sofrimentos,vida e morte e em crescente o sentido
da vida,que pode ter um ou pode não ter resta a crença dos
homens que deambulam e procuram respostas sem certezas.

Nas entranhas não sinto deus,sinto o meu eu,numa dispersão
entre debates e por vezes dores físicas e psíquicas sem rumo,
e se me pergunto porque sofro fisicamente tento encontrar as
respostas não o sentido,pois não é dada uma razão para a dor.
O que na alma geme e ruge está num patamar que a razão ou
a realidade tentam resolver numa complexidade inconforme se
se mistura com as entranhas quase se perde a identificação eu
corpo com outro corpo que grita e a identidade fica bifurcada e
tão abandonada por maior que seja a dignidade do sofrimento.
Há o recurso aos paleativos e calmantes para corpo e alma as
questões de ser ou não ser merecedor são irrelevantes viver é
isto e uma constante confrontação e aceitação e deus fica fora
pois não há definição de justiça para o sofrimento infligido pelo
próprio homem,a complexidade é enorme e não acreditar em
divindades é já uma resposta,algo absurda pois enfrentar esse
nada,é um acto de coragem ou pura indiferença.Não creio em
dogmas, não cumpro os trilhos da religião mas penso que algo
de supremo existe e nos rege e se contesto a injustiça da dor a
dos animais,dos inocentes e dos seres superiores em bondade
fico sem resposta,o sofrimento é um facto da vida sem escolha..

(Entranhas temos todos e a alma com elas é do que somos feitos
e indagar nada traz de novo,apenas alivio as penas e dúvidas e
nada acrescento ao que se sabe e sente cada um com ou sem
Deus.)

Cassandra Alpoim
In Texto Poético
ou não

20/10/15

Nenhum comentário:

Postar um comentário