domingo, 4 de dezembro de 2016

Domingo Na usina: Biografias: Gonzalo Torrente Ballester:


 (A Coruña, 13 de junho, 1910 - Salamanca, 27 de janeiro, 1999). Escritor espanhol.
Direito e Artes cursos e ensinou sucessivamente na Universidade de Santiago, em Santiago e institutos de Madrid e em várias universidades americanas. Durante a Guerra Civil é falangista militante e começou seus começos literários interessadas em teatro, com um texto teórico apareceu na revista Hierarchy (Justificativa para o futuro dramático, 1937) e vários dramas simbólicos: O casamento enganoso (1938), Lope Aguirre (1941) e República Barataria (1942). Certos aspectos da sua primeira novela, Javier Mariño (1943), ainda mostram sua conexão com falangismo, apesar de ser modificados em razão da censura.
Mais tarde escreve O golpe de Guadalupe Limon (1946), Ifigênia (1950), a trilogia As alegrias e as sombras, Don Juan (1963) e Offside (1969).
A publicação em 1972 de A saga / fuga de JB., Que recebeu a cidade de Barcelona e críticos prêmios, recebidos com grande entusiasmo pela crítica e pelo público. Torne-se um escritor de sucesso, mais tarde publicado A ilha de jacintos de corte (1982), Filomeno, para meu desgosto (1988, Prêmio Planeta) e Chronicle do rei atordoado (1989).
De sua obra como ensaísta incluem Panorama da literatura espanhola contemporânea (1956), Teatro contemporânea espanhola (1957), Sete ensaios clínicos (1972) e Don Quixote como uma peça de teatro (1975).

Em 1975 ele foi eleito membro da Real Academia Espanhola. Recebeu o Prêmio Nacional de Literatura em 1981, o Prémio Príncipe das Astúrias em 1982 e do Cervantes em 1985. Entre seus trabalhos recentes são O Casamento de Chon Recalde (1994) e Os anos indecisos (1996), e que é seu primeiro livro infantil, Domenica (1999).

fonte de origem:

Nenhum comentário:

Postar um comentário