quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Quarta Na Usina: Poetisas Da Rede: O:María r.. Fernández F:EL PORTER


Su oficio era abrir una puerta. Por ocho horas diarias. Por todos los días de la semana. Los meses. Los años.
Su oficio era su vida. Su amor, un accidente.
El día en que su amada le pidió que acudiera a su encuentro, no pudo cruzar. Demasiado tiempo, demsiado trabajo.
En fin, se miró las manos, se le habían gastado los dedos.
María A Fernández F
Inscritos Reservados Los Derechos.
O goleiro de seu escritório foi abrir uma porta. Oito horas por dia. Para todos os dias da semana. Os meses. Os anos.
Seu escritório era a vida dele. Seu amor, um acidente.
No dia em que sua amada pediu que ele viesse à reunião, não pode atravessar. Há muito tempo, muito trabalho.
Finalmente, ele olhou para as mãos, os dedos dela tinham sido gasto.

María r.. Fernández F registrado os direitos reservados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário