quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Poesia De quinta Na Usina: Fernando Pessoa: Minha dor é inútil:


Como uma gaiola numa terra onde não há aves,
E minha dor é silenciosa e triste
Como a parte da praia onde o mar não chega.
Chego às janelas
Dos palácios arruinados
E cismo de dentro para fora
Para me consolar do presente.
Dá-me rosas, rosas,
E lírios também...
Mas por mais rosas e lírios que me dês,
Eu nunca acharei que a vida é bastante.
Faltar-me-á sempre qualquer coisa,
Sobrar-me-á sempre de que desejar,
Como um palco deserto.
Por isso, não te importes com o que eu penso,
E muito embora o que eu te peça
Te pareça que não quer dizer nada,
Minha pobre criança tísica,
Dá-me das tuas rosas e dos teus lírios,
Dá-me rosas, rosas,

E lírios também..



             Poemas de Álvaro de Campos
 Fernando Pessoa
Fonte: http://www.secrel.com.br/jpoesia/facam.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário