quinta-feira, 16 de março de 2017

Poesia De Quinta Na Usina: Machado de Assis: TEU CANTO:


29 jun. 1855
A UMA ITALIANA.

É sempre nos teus cantos sonorosos
Que eu bebo inspiração.
DO AUTOR “Meu Anjo”.
Tu és tão sublime
Qual rosa entre as flores
De odores Suaves;
Teu canto é sonoro
Que excede ao encanto
Do canto
Das aves.
Eu sinto nest’alma,
Num meigo transporte,
Meu forte
Dulçor;
Se soltas teu canto
Que o peito me abala,
Que fala
De amor.
Se soltas as vozes
Que podem à calma,
Minh’alma
Volver;
Minh’alma se enleva
Num gozo expansivo
De vivo
Prazer.
Donzela, esta vida
Se eu tanto pudera,
Quisera
Te dar;
Se um beijo eu pudesse
Ardente e fugace
Na face

Pousar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário