quarta-feira, 15 de março de 2017

Quarta Na Usina: Poetisas Da Rede: Maria Bittencourt:SOBRE O AMOR:


Há um fogo em meu corpo que mais 


parece a conspiração do inferno.
Esse fogo é que vive a queimar,na 
convulsão,na contemplação do que 
tenho que ignorar, interno. 
Fisionomias desfeitas de dor de amar, 
nas estações de outono, 
verão primavera e inverno
É a dança do olhar, é a dança dos ventos
É a homenagem deles, me deixarem viva 
pelo meu carisma.
Eles os meus amores eram humanos insanos...
Eles me tomavam nos braços, e me bebiam
aos tragos em seus lábios.
Quando me amavam, me machucavam
e eu mentia que o amor teria fim, e que 
em pouco tempo, ele sairia de mim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário