quarta-feira, 26 de abril de 2017

Quarta Na Usina: Poetisas Da Rede: Patricia Piassa "Pimenta": Tema inesgotável...:


Quantas vezes irei falar de sexo??? 
Tipo assim, que tesão a noite inteira bem servida e bem comida, gozando a vida numa metida...
Todas as vezes em que eu me sentir uma mulher inteira e satisfeita, aproveitando o corpo que tenho, o gosto que tenho por esta coisa bem coisada de ser amada...
Quantas vezes irei falar de amor???
Todas as vezes que eu amar, e palavra amo todos os dias, com metida ou sem metida, pois estou afundada na beleza de um sentimento bem correspondido, sou amada, então porquê me recusaria a amar de volta...
Quantas vezes irei falar do gozo???
Todas as vezes que eu gozar, ou pensar em gozar, ou lembrar a última gozada, toda vez que eu sentar num banco de bicicleta e o tesão apertar, toda vez que eu ver a calda de morango deslizando carinhosamente no sorvete irei querer chupar, toda vez que meu amado com aquela boca feita para a oral intimamente me tocar e a sua língua me fizer gritar, toda vez que o corpo do meu amado estiver quente e desesperado e eu com pressa não conseguir esperar e gozar no primeiro olhar, toda vez que seu pau me quiser e eu quiser retribuir a querência, toda vez que seus dedos de artista fizerem arte em minhas partes baixas, artes que me elevam nas alturas dos gozos e dos prazeres, presentes dos anjos...
Quando esgotarei a transa com a escrita???
Quando deixar de sentir tesão, quando minha memória falhar e eu não lembrar de minhas noites de meteção, quando eu deixar de amar, quando eu me magoar, quando triste eu estiver, falarei do sexo, aquele feito sem tesão, sem amor e sem paixão, aquele sexo vendido nas esquinas, comprado nos bares por drogas e bebidas, aquele sexo feito por casados com a conveniência, aquele sexo de casais que vivem por aparências...
Quanto levarei da minha escrita para minha vida???
Levarei cada palavra tesuda, cada fantasia, cada pensamento de amor, cada gesto de paixão, cada movimento desejado na meteção, cada tara escondida nas palavras, cada madrugada sendo amada, cada dia de ser feliz na vida que eu escolhi pois sempre quis, gozar mais e chorar menos, rir mais alto, voar em passos largos, amar em camas desarrumadas, sonhar uma vida juntos, amar e seguir em frente, sem nunca deixar de ser para o meu amor, a mulher séria do dia a dia e de todos os dias a que ama de forma indecente...
Patricia Piassa "Pimenta"

Nenhum comentário:

Postar um comentário