quinta-feira, 4 de maio de 2017

Poesia De Quinta Na Usina: Cruz e Sousa: SONETO:



À Julieta dos Santos

Dizem que a arte é a clâmide de idéia

A peregrina irradiação celeste,

E d’isso a prova singular já deste

Sorvendo d’ela a divinal sabéia!.

Da “Georgeta” na feliz estréia, Asseverar-nos ainda mais vieste Que és um gênio, que te vais de preste

Tornando o assombro de qualquer platéia!...

Sinto uns transportes fervorosos, ledos Quando nas cenas de sutis enredos

Fulgem-te os olhos co’a expressão dos astros!...

E as turbas mudas, impassíveis, calmas

Sentem mil mundos lhes crescer nas almas...


Vão-te seguindo os luminosos rastros!...

Nenhum comentário:

Postar um comentário