quarta-feira, 31 de maio de 2017

Quarta Na Usina: Poetisas Da Rede:Patricia Piassa "Pimenta": Sufrágio...:


Amaldiçoada palavra minha... Soa mal e mau ressoa... Pobre Puta na calçada, não se vende e nem se aluga...Por muito se faz Puta e pensam ser por quase nada... E que se vá amaldiçoada palavra minha, por muitos ser escutada... Palavras que não são meros rumores... Que zunem no ar, pois acabou a escravidão... O chicote já não zuni, o que zuni, é o defeito de ser belo sem motivo só na emoção... Minha palavra amaldiçoada traz a menção, do sacrifício de todo sangue do sexo virgem derramado nos altares... Este mesmo sexo que não mais se come, agora este sexo é quem consome os nervos e as carnes dos pobres e coitados homens... O começo foi a luta, coisa bruta para a alma feminina... Que se fortificou nos corações de tantas meninas e mocinhas, fortes guerreiras de uma batalha injusta, que lhes deu a justa medida de se saberem e se valorizarem como mulheres e não como bichos de procria... Acabou o sufragismo, a mulher terminou mais decidida... Já faz tempo que trabalha sem precisar ser a comida... E a coisa toda muda... E minha palavra ainda é amaldiçoada, e precisa falar da discriminação de tanto homem que se ilude no passado e ainda pensa ser machão e não sabe sequer entender a verdadeira situação... Que por macho se tem o bicho, que vive apenas de instinto, este bicho que há muito pela fêmea foi abatido e engolido... Deste engolir de tantas mágoas dos frágeis corpos maculados por porradas, um novo homem foi vomitado, bem comido e ruminado, num novo pensar igualitário... Acabou-se a maldição, que foi passada de mães para filhas, de serem as Putas mães solteiras, condenadas pelas vidas que escolheram e os amores que viveram, apagaram-se as fogueiras... Há muito o que queima numa mulher é apenas o concreto conceito de poder viver o que bem quer... 

Patricia Piassa "Pimenta"

Nenhum comentário:

Postar um comentário