sexta-feira, 19 de maio de 2017

Sexta Na Usina: Poetas Da Rede:Armindo Loureiro:Corpos de gritos…




Eu não sei
Nem poderia saber
Porque o que eu amei

Está dentro do teu ser

Que beleza de coração

Que acabo de conhecer

Inebria-me de paixão

Por nele também caber

Gosto de ti por seres assim

Gosto de ti porque gosto

E teu corpo fica afim

Se o meu ao teu encosto
Afim duma brincadeira
Que gostamos de fazer
Não é nenhuma asneira
Se os dois temos prazer
Dou-te beijos e abraços
E até outras coisas mais
Tapamos todos os espaços
E começamos a dar ais
Tem beleza o amor
Quando assim praticado
Com palavras de humor
Até o corpo fica salgado
Arrepiam-se as peles
Pelo trabalho dos dedos
E há quem seja tão reles
Que diz que isto não são enredos
São enredos e bem bonitos
Todos nisso podem crer
Nesses corpos que são de gritos
Eu o gosto de fazer

Armindo Loureiro – 10/02/2014 – 13H55

Nenhum comentário:

Postar um comentário