quinta-feira, 8 de junho de 2017

Poesia De Quinta Na Usina: D'Araújo: O Viajante


Se hoje sou quem sou, é porque me fizeste assim.
Sigo o meu caminho sem observar o caos, ao meu redor, 
simplesmente sigo em frente.

Não mim importa aonde vou chegar, 
pois o semblante de tristeza na face 
de cada ser, já é uma realidade incontestável.

Sigo a velha trilha deixada ao longo dos 
tempos pelos velhos sonhadores como eu.

A observar apenas quantos ainda andam 
as cegas neste horizonte de perdição.



Por favor, alguém me avisa quanto, 

me chegar o tempo findo, pois estou 
seguindo o meu coração sem me 
preocupar com o doce tempo.

D'Araujo


Nenhum comentário:

Postar um comentário