quinta-feira, 8 de junho de 2017

Poesia de Quinta na Usina: Poema: Avesso.


A réstia que corta o horizonte na linha reta 
do meu pensar. Me da o repouso do aconchego 
do colo da vida que escorrega, as mãos do falso destino, 
de menino travesso.


Aceitando o avesso da vida que passa olhando 
as vidraças do tempo que resta nos arreios da testa, 
que separa a visão, da cegueira da alma.


D'Araujo.



Nenhum comentário:

Postar um comentário