quinta-feira, 15 de junho de 2017

Poesia De Quinta Na Usina:D'Araújo:Poema: Surdo:


Uma guerra injusta, 
Aonde a curva do desejo vai alem da razão, 
Qual a paixão sem fim, ou um amor sem começo.
Então paga-se o preço justo do absurdo.

O que tem de belo no esperar eterno, 
No falante calado, ou no ouvinte surdo.
Já é claro a escuridão da observação 
De não enxergar o óbvio.

De aceitar o fato, ou de aceitar a lógica, 
Do despertar pro nada, e não poder viver tudo.
Como encontrar a paz, 
Quando a guerra em mim já é inevitável.

Aí acordo pro mundo, 
Perfeito ou imperfeito não importa.
Simplesmente vivo.

D'Araújo.

Conteúdo do livro: O Grito da Alma poesias e pensamentos:
www.blioteca24horas.com




Nenhum comentário:

Postar um comentário