sexta-feira, 2 de junho de 2017

Sexta Na Usina: Gustavo Adonias: METAMORFOSE:


Tornei-me um pássaro

De tanto vê-los voar

E desejar aquela liberdade


As primeiras penugens brotaram
Em uma sufocante tarde de outubro
Logo vistosas asas surgiram

E o nariz foi ficando duro
Juntando-se com a boca
Em um adunco bico

Minhas pernas tornaram-se juncos
Finos e tropeçantes
Mas eu não precisaria muito delas
Seriam apenas minha base para pousar
E hastes para dormir

Poder voar, ah voar
Nada pode traduzir esse momento
Levitar no firmamento
Elevar-me entre as nuvens
Acima dos mais altos arranha-céus

Viveria apenas um dia por esse instante
Morreria feliz, ao relento
Agasalhado pelos braços do vento...

(Gustavo Adonias)

Nenhum comentário:

Postar um comentário