domingo, 2 de julho de 2017

Domingo na Usina: Biografias: Rodrigo Otávio de Langgaard Meneses:


 (Campinas, 11 de outubro de 1866 — Rio de Janeiro, 28 de fevereiro de 1944) foi um advogado, professor, magistrado, contista, cronista, poeta e memorialista brasileiro.

Participou, desde o início, do grupo de escritores que fundaram a Academia Brasileira de Letras.

Filho do Dr. Rodrigo Otávio de Oliveira Meneses e de Luiza Langgaard, filha do médico dinamarquês, estabelecido no Brasil, Dr. Theodoro Langgaard. Aos 5 anos veio, com sua família, para o Rio de Janeiro. Estudou na na Faculdade de Direito de São Paulo, onde se formou aos 20 anos, em 1886. Iniciou a vida pública na magistratura, tendo sido nomeado, em 1894, secretário da Presidência da República no governo de Prudente de Morais entre 1894 e 1896, quando começou a lecionar na Faculdade de Ciências Jurídicas e Sociais da Universidade do Brasil.

Por diversas vezes foi presidente do Instituto dos Advogados Brasileiros, entidade que promoveu a criação da Ordem dos Advogados do Brasil, em 1930. Rodrigo Otávio presidiu também a Sociedade Brasileira de Direito Internacional e membro honorário e vice-presidente do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro.

Consultor-geral da República (1911-1929), foi delegado plenipotenciário do Brasil em diversas Conferências Internacionais, como as de Haia, para o Direito relativo à letra de câmbio (1910 e 1912); de Bruxelas, para o Direito Marítimo (1909, 1910 e 1912); a Conferência Científica Pan-Americana de Washington (1916); da Paz, de Paris (1919), tendo assinado o Tratado de Versalhes. Foi conferencista em várias universidades - Paris, Roma, Varsóvia e Montevidéu. Foi também vice-presidente na I Assembleia da Liga das Nações, em 1920.[2]

Em decreto de 5 de fevereiro de 1929, foi nomeado Ministro do Supremo Tribunal Federal, cargo que exerceu até aposentar-se em 7 de fevereiro de 1934.[3]

Casado com Maria Rita Pederneiras, era pai do também acadêmico Rodrigo Otávio Filho.[4]

Índice  [esconder]
1 Academia Brasileira de Letras
2 Obras publicadas[5]
3 Referências
4 Ligações externas
Lorbeerkranz.pngAcademia Brasileira de Letras[editar | editar código-fonte]
Foi o fundador da cadeira 35 da Academia Brasileira de Letras, que tem como patrono Aureliano Tavares Bastos.

Obras publicadas[5] [editar | editar código-fonte]
Obras literárias e históricas
*Pampanos — Versos, 1886
Poemas e Idylios — Versos, 1887
Aristo — Novela, 2ª edição, 1906, ed. da Renascença.
Sonhos Funestos — Drama em verso, ed. Laemmert & Cia., 1895
Festas Nacionaes — Capítulos de Historia, ed Alves & Cia
Bodas de Sangue — Novela, Revista Brasileira, 1895.
A Balaiada — Chronica histórica, ed. Laemmert & Cia, 1903.
Felisberto Caldeira — Chronica dos tempos coloniaes ed Laemmert & Cia, 1900, 2ª edição, Lisboa, Aillaud & Cia, 1921
A Estrada — Drama, 1907, ed. da Renascença.
Le Brésil, sa culture, son libéralisme - Conférence prononcé au Grand Theâtre de Gèneve, le 15 novembre 1912. Genève, 1913
Águas passadas — Novela, ed. Garnier & Cia, 1914.
A Constituinte de 1823 — Memória apresentada ao Congresso de História Nacional. Revista do Instituto Histórico, 1914
Vera — Poema (edição de 50 exemplares), 1916.
Coração de caboclo — Poema, EPoema, ed A Illustração, 1924.
Na terra da virgem índia - Sensações do México. Conferência dada na Academia Brasileira em 1923, Annuario do Brasil, 1924.
Obras jurídicas
Os successos de abril perante a Justiça Federal — Imprensa Nacional, 1893.
Direito Federal — Preleções do dr. Juan M. Estrada, traduzidas e anotadas, ed. Alves & Cia., 1897.
Do Domínio da União e dos Estados segundo a Constituição Federal. Monographia premiada pelo Instituto dos Advogados. Livraria Acadêmica Saraiva, 1924
Referências
Ir para cima ↑ Pela grafia antiga, Rodrigo Octavio de Langgaard Menezes.
Ir para cima ↑ Biblioteca virtual. Biografia de Rodrigo Octavio.
Ir para cima ↑ Supremo Tribunal Federal. Ministros. Rodrigo Octavio de Langgaard Menezes. Biografia.
Ir para cima ↑ Hilton, Ronald. Who's Who in Latin America: Part VI, Brazil. Stanford University Press, 1948, p.121.

Ir para cima ↑ Rodrigo Octavio. Do Domínio da União e dos Estados segundo a Constituição Federal. Monograhpia premiada pelo Instituto dos Advogados. 2ª ed. consideravelmente augmentada. Livraria Acadêmica Saraiva & C Editores. Largo do Ouvidor, 5-B. São Paulo, 1924.

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário