quinta-feira, 20 de julho de 2017

Poesia De Quinta Na Usina:D'Araújo: Duas vidas, minha e tua.


Minha vida, tua vida, nossas vidas.
Vidas, que se usam,
Vidas que se cruzam,
Vidas que se abusam.

Tua vida em meu caminho
Tua vida no meu ninho
Minha vida em tua vida
Nossas vidas sem saída
Tua vida bem vivida
Nossas vidas repartidas.

Vidas feias, vidas belas
Todas presas a uma aquarela
Aquarela de vidas frias, vidas mornas
Na agonia, vidas tensas vidas imensas
Minha vida em tua vai ficando dividida.

Vidas lógicas, vidas incertas
Vidas íntimas, mau cobertas
Vidas energéticas, vidas nórdicas
Minha vida tua vida, nossas vidas.
Vida inerte pela consciência que
Contempla tua existência.

Fortes pela complacência
Ah! Minha vida sem a tua vida
Não seria tão vivida.
A vida semente da ilusão
Caminho sem compaixão
Assento sem chão.

 Ah! Tua vida sem a minha vida,
Não seriam nossas vidas
Uma vida que cai, uma vida que sai
É a lua que não vem, e o sol que não sai
É o vento que treme, e o espírito que geme.

O mundo não teria vida
Sem as nossas vidas.
Ah! Nossas vidas.
Tua vida, minha vida,
 Todas elas bem vividas
 Minha e tua.

D'Araujo; "o Grito da Alma" Poesias e pensamentos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário