segunda-feira, 3 de julho de 2017

Sergio Almeida: Diário do Desassossego:




canto um refrão triste.


pelo chão resquícios

de uma noite insone,

pelas paredes sinais

de impossíveis probabilidades

originadas no útero

da minha descrença,

no coração das minhas fraquezas,
entre a demência e a dormência.
.
algumas certezas
precisam ser sacrificadas.
os sorrisos já se foram,
carregam o peso de um pretérito
interminável.
.
insustentável leveza.
muito passado,
escasso presente,
nenhum futuro.
.
Adquira Diários do Desassossego
http:/sergioprof.wordpress.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário