quarta-feira, 31 de maio de 2017

Pensamento do Dia:





"Quando as palavras ditas são reflexo do mais puro sentimento da alma, nem mesmo toda a eternidade do viver será capaz de apagar"


D'Araújo.

Quarta Na Usina:Poetisas Da Rede:Elaine Coletti:




Sempre que houver alternativas, tenha cuidado. Não opte pelo conveniente, pelo confortável, pelo respeitável, pelo socialmente aceitável, pelo honroso. 

Opte pelo que faz o seu coração vibrar. Opte pelo que gostaria de fazer, apesar de todas as consequências.
OSHO
Por isso que eu vivo livre
O confortável para mim é a verdade
É o que eu quero
Respeito a minha vontade
Assim serei respeitada
Não quero honras
Não quero méritos
Quero ser eu
Sem precisar fugir...
Quero poder olhar no espelho
E me ver feliz
Sem o falso moralismo
Sem esconder o que quero
Faço o que gosto
Consequências sempre vai haver
Boa ou ruim
Com a certeza que fiz 
O que me faz bem
Não fujo
Não me escondo
Meu coração vibra
No compasso da liberdade
De ser eu
Sem falsidade


Elaine Coletti

Quarta Na Usina: Poetisas Da Rede: Ana Monteiro: Suplício:


Ai, como eu quero hoje!
Que lambuze o corpo de óleo, 
me massageie a carne, 
me sinta o cio.
Me desarme, 
me ame.

Não!
Não me ame.
Me chame: 
de puta, de gostosa. 
Me sinta a carne fogosa.
De quatro, na cama, no chão. 
Se demore em mim, 
ponha um fim nesse suplício
Me penetre em cada orifício, 
até que eu me acabe em paixão.

By Ana M.

Quarta Na Usina: Poetisas Da Rede:Patricia Piassa "Pimenta": Sufrágio...:


Amaldiçoada palavra minha... Soa mal e mau ressoa... Pobre Puta na calçada, não se vende e nem se aluga...Por muito se faz Puta e pensam ser por quase nada... E que se vá amaldiçoada palavra minha, por muitos ser escutada... Palavras que não são meros rumores... Que zunem no ar, pois acabou a escravidão... O chicote já não zuni, o que zuni, é o defeito de ser belo sem motivo só na emoção... Minha palavra amaldiçoada traz a menção, do sacrifício de todo sangue do sexo virgem derramado nos altares... Este mesmo sexo que não mais se come, agora este sexo é quem consome os nervos e as carnes dos pobres e coitados homens... O começo foi a luta, coisa bruta para a alma feminina... Que se fortificou nos corações de tantas meninas e mocinhas, fortes guerreiras de uma batalha injusta, que lhes deu a justa medida de se saberem e se valorizarem como mulheres e não como bichos de procria... Acabou o sufragismo, a mulher terminou mais decidida... Já faz tempo que trabalha sem precisar ser a comida... E a coisa toda muda... E minha palavra ainda é amaldiçoada, e precisa falar da discriminação de tanto homem que se ilude no passado e ainda pensa ser machão e não sabe sequer entender a verdadeira situação... Que por macho se tem o bicho, que vive apenas de instinto, este bicho que há muito pela fêmea foi abatido e engolido... Deste engolir de tantas mágoas dos frágeis corpos maculados por porradas, um novo homem foi vomitado, bem comido e ruminado, num novo pensar igualitário... Acabou-se a maldição, que foi passada de mães para filhas, de serem as Putas mães solteiras, condenadas pelas vidas que escolheram e os amores que viveram, apagaram-se as fogueiras... Há muito o que queima numa mulher é apenas o concreto conceito de poder viver o que bem quer... 

Patricia Piassa "Pimenta"

Quarta Na Usina: Poetisas Da Rede: Ana Paula Ribeiro :Amor surreal:


Mesmo distante
Sinto nosso amor
Entre sonhos e realidade

Era raridade deste nossa mocidade 
Mas tudo virou banalidade 
Não era pra ser nem mim
E nem pra você.

Amor de verdade 
Não tem hora e nem local
Nem ponto final.

Entre caminhos muito quiseram-me
Fazer parte de minha vida
Mas vivo apaixonada
Por um ser que me deixou
Mas nada me restou.

Ana Paula Ribeiro 
19/07/2015.
Todos os Direitos Preservados

Quarta Na Usina: Poetisas Da Rede: Elisabeth Gl da Conceição: Me ame:


Profundo, intenso
quente, com
ardor,

atormenta, desorienta
me transforma, me cala,
me perco em você.
Entre palavras, carícias
sorrisos, olhares
perdida estou.
Não pare;
vamos até o luar,
no céu , entre
estrelas 
no brilho do
meu olhar.
Me ame como
amo você,
que seja por 
um momento
seja profundo,
intenso
quente, seja
simplesmente meu
amante.
Somente.

Elisabeth Gl da Conceição

terça-feira, 30 de maio de 2017

clube de autores:Por que um bom livro é uma porta secreta?




 3 de outubro de 2016  clubedeautores         
A infância é surreal. Já comentei isso no post da quarta passada quando me alonguei, talvez mais do que o necessário, sobre como livros permitem que crianças criem mundos de acordo com as suas próprias e pessoalíssimas visões de mundo.


Nessa linha, vale muito conferir a palestra do autor Mac Barnett sobre a escrita que escapa das páginas abrindo todo um caminho para a imaginação:


Terça Na Usina:Blogs De Ouros Autores e Autoras Da Rede: Um de Dois: ICH LIEBE DICH:



Um de Dois: ICH LIEBE DICH: Kursk , 28 de junho de 1943 Mein lieber , Estamos marchando a cinco dias rumo ao flanco esquerdo da linha de defesa em. Todos aq...







Link para adquirir o Livro: Calabouço contos e outros:
http://24.233.183.33/cont/login/Index_Piloto.jsp?ID=bv24x7br

Terça Na Usina: Blogs De Outros Autores e Autoras Da Rede:Poesias do Poeta Cigano: Minha noite de luar...!!!!


Poesias do Poeta Cigano: Minha noite de luar...!!!!:   Poeta Cigano   Ah! Quando nos céus, a noite floresce, A sua lua trazendo e, estrelas, a sorrir, Chega linda e, a gente, não se ...






















Link para adquirir o Livro: Calabouço contos e outros:
http://24.233.183.33/cont/login/Index_Piloto.jsp?ID=bv24x7br

Terça Na Usina: Blogs De Outros Autores e Autoras Da Rede:CAIXA DE EXAGERO: DEMOCRACIA, VOCÊ SABE O QUE É?


Em Breve posto em PDF o Livro Completo, vamos incentivar a Cultura, 
a Informação nessas épocas tão difíceis. Segue a baixo um trecho do liv...

Terça Na Usina: Blogs De Outros Autores Da Rede: Gust@vo Dr@go - sinônimo de SUCESSO: Publique pela APED!


Gust@vo Dr@go - sinônimo de SUCESSO: Publique pela APED!: Caro autor... Se for do seu interesse publicar pela editora Aped, me envia o original em formato Word, já registrado e revisado, que ...






















“Para os amantes da poesia, Link para Download grátis do livro “Amor Eterno Amor”

Terça Na Usina: Blogs De Outros Autores e Autoras Da Rede:Era uma Vez: FACE TO FACE - Afonso Estebanez & Natureza e mú...


Era uma Vez: FACE TO FACE - Afonso Estebanez & Natureza e mú...: FACE TO FACE De todos os momentos insondáveis  mais bonitos da vida de uma mulher – aquele em que ela toma a bandeira s...

Terça Na Usina:Blogs De Outros Autores e Autoras Da Rede:Da Rede:Mjiba - Jovem Mulher Revolucionária: Entrevista para o Programação Globo Ação:


Mjiba - Jovem Mulher Revolucionária: Entrevista para o Programação Globo Ação: Repórter Julia Bandeira entrevista Elizandra Souza Confira a entrevista sobre a minha trajetória e os eventos culturais que acontecem n...







Link para Download do Manual Prático de Bioga;

Pensamento do Dia:

"Ninguém alcança o paraíso sem o extremo exílio do purgatório da consciência."


Para ler ou baixar o livro clique no link:




segunda-feira, 29 de maio de 2017

Crônicas de Segunda na Usina:Sexualidades muito alem do desejo da opção ou orientação.


     Com a evolução dos tempos, já podemos entender que a multiplicidade e diversidade sexual, vai muito além da escolha, opção, ou mesmo à orientação por definição da sexualidade.
Para um bom observador depois de décadas de diálogos, leituras e acompanhamentos.
Fica cada vez, mas evidente e inevitável à constatação na semelhança dos fatores que direcionam o ser humano para suas afinidades de desejos, necessidades e práticas sexuais.
Claro que não pretendo aqui estabelecer um paralelo sobre o estudo da sexualidade, nem tão pouco criar, confirmar ou contestar qualquer estudo ou tese sobre o assunto.
Mas ao logos dos tempos é inevitável notar que existem fortes traços que evidenciam
     Que o comportamento sexual humano, vai muito alem da simples escolhas dos seus tutores pela sua orientação, ou mesmo por uma escolha isolada.
A breve linha tênue que separa os desejos e as necessidades da raça humana nos remete inevitavelmente aos nossos antepassados e suas organizações sociais ainda na era primitiva.
Sendo um pouco, mas observador em relação aos nossos irmãos primatas em suas hierárquicas, podemos facilmente observar que em todo o bando, há apena um macho predominante que acasala com todas as fêmeas escolhidas pelo mesmo.
Garantido assim a continuidade da espécie com o nascimento de filhos mais saudáveis.
Na outra ponta, cria-se uma legião paralela de abnegados de ambos os sexos.
Como nenhuma criatura conseguiu até hoje fugir ou se quer negar os seus desejos e necessidades fisiológicas, as exposições constantes dos atos.
      Tornou-se inevitável a evolução involuntária dos instintos, entre os seres do mesmo sexo.
Como forma de compensação pelo trauma da exclusão do grupo predominante.
E nem mesmo os milhões de anos e a evolução da espécie humana foi capaz de eliminar este dispositivo de compensação.
Então na grande maioria dos casos, quando o ser humano sofre uma invasão, ou violação da sua intimidade, assim como quando se sente excluído do seu grupo social,
Este dispositivo de alguma forma é ativado involuntariamente.
É como se a natureza fosse criando novos caminhos para preservar os membros considerados mais fracos da espécie.
Diante estes traumas se estabelece esta multiplicidade da conduta sexual.
O grande enigma está em descobrir se existe alguma ação voluntária ou involuntária que seja capaz de desativar este dispositivo tão primitivo do ser humano.
Mesmo porque acho isso absolutamente desnecessário, pois tal postura de longe compromete a perpetuação da espécie, ou mesmo um convívio harmoniosos entre todas as formas de grupos ou tribos que subdividem os mesmo espaços.

  D'Araujo.

Crônicas De Segunda Na Usina: Das Coisas que nunca fomos:



Coisas que quanto mais eu tento, mais difícil fica de entender:

Na Política:

Aqui no Facemundo, só temos pessoas politizadas que conhece os seus direitos , que não votam em corruptos, que exige daqueles em quem votaram,coerência e responsabilidade social;
Mais onde é que estes políticos trabalham, seria em Marte?
Pois eles não povoam nossas assembleias e e gabinetes do executivos por aqui.

No aumento dos preços:

Temos uma lamuria só contra o preço dos combustíveis, mas nas ruas, se você sair de carro, na área urbana a média de velocidade é de 40 km por hora, por causa do excesso de veículos.
Claro que na maioria dos transporte alternativos você vai ter que fazer algum esforço físico para se locomover; Então está fora de cogitação.
Pois já vi muitas pessoas entrar em desespero porque o controle remoto quebrou.

Na Sustentabilidade:

Somos sufocados o ano todo com postagem de pessoas pregando a economia de energia; Ai você vai visitar os amigos e 90% do que ele usa é elétrico, mais esperai não é para economizar energia, a entendi desde que não seja pra tirar o meu conforto.
Ai chega o Natal e a cidade fica coberta de luzes coloridas ai se formam verdadeiras procissões para apreciação. Mas aquelas luzes não são a eletricidade?
Mais já pensou Jesus ia ficar muito triste se não gastassem tudo que economizou durante o ano festejando o seu aniversário.
Mas onde quando ele nasceu nem tinha lâmpadas elétricas.

Na falta de água:

Todos os meios de comunicação estão engajados na batalha da economia;
lhe informando milhares de formas de armazenar aguá;
agora espera os reservatórios começarem a encher, ai vocês vão ver uma em chorrada de reportagem que você nem sabe de onde vem. Alertando para o perigo de se armazenar aguá.
Bem não podemos esquecer que a SABESP; sobrevive de vender aguá. e digas de passagem bem vendida.Bem comigo é diferente, pois nasci no nordeste e na época que eu nasci por la economizar água é questão de sobrevivência, talvez por isso sempre teve consciência da necessidade de não desperdiçar absolutamente nada. Nem mesmo saliva com aqueles que fingem ser surdos para não fazerem o que é necessário.

No humanismo:

Por aqui você não passa um segundo sem receber uma postagem sobre esses desumanos que maltratam animais, e se formam imensas corretes de solidariedade, para salvar o pobre bichinho das garras deste perverso.
a titulo de esclarecimento; Eu moro do Outro lado da Balsa em São Bernardo do Campo, SP."Mais conhecido como comunidades pois Balsa, No Riacho Grande, para aqueles que não sabem, aqui é local de desova daqueles que já foram seus melhores mais que com o tempo se tornou um estorvo; Ou por causa da velhice, ou doença incurável, ou mesmo porque encontrou um brinquedo mais interessante.
e por mais que eu procure, não encontro estes humanistas doando um seus valiosos finais de semanas para trazer comida, e atenção para estes pobres coitados rejeitados pela sua condição atual. Desculpe é que quem tem que fazer isso é o próximo não você, pois é ai que denegrimos todos os nossos valores sociais, delegando nossas próprias obrigações sempre ao próximo, assim dormimos com nossa consciência tranquila se é que temos alguma consciência do que nos tornamos todos com o passar do tempos e as nossas valiosas prioridades...
Até quando vamos nos vestir com o mantos da santa hipocrisia, e achar que está tudo normal?

D'Araujo.

Pensamento do Dia:

A única coisa que difere um ser do outro são as suas atitudes.


Para ler ou baixar o livro clique no link:

domingo, 28 de maio de 2017

Domingo Na usina: Biografias: Álvaro Alves de Faria:

  

Nasceu na cidade de São Paulo em 9 de fevereiro de 1942.
      É jornalista, poeta e escritor. Tem formação em Sociologia e Política. Mestrado em Comunicação Social.
      Recebeu os mais importantes prêmios literários do país. Destaque-se o Prêmio Governador do Estado de São Paulo, Prefeitura Municipal de São Paulo para Poesia e o Pen Clube Internacional de São Paulo, em 1973, para o livro “4 Cantos de Pavor e alguns Poemas desesperados”.
               Por duas vezes recebeu o Prêmio Jabuti de Imprensa, da Câmara Brasileira do Livro, em 1976 e 1983, por sua atuação em favor do Livro no jornalismo cultural. Por esse mesmo motivo, também foi distinguido por duas vezes com o Prêmio Especial da Associação Paulista de Críticos de Arte, em 1988 e 1989.
               Esse trabalho em favor do livro vem sendo desenvolvido desde que começou no jornalismo, com menos de 20 anos. Escreve para jornais e revistas, além de comentar livros na Rede Jovem Pan-SAT, da rádio Jovem Pan de São Paulo, trabalho que também realizou, por vários anos, na TV Cultura de São Paulo.
               Outro prêmio importante na vida do poeta foi o Anchieta para Teatro, da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, um dos mais importantes nos anos 70, com a peça “Salve-se quem puder que o jardim está pegando fogo”.
      Seu livro “Trajetória poética – Poesia Reunida” recebeu o prêmio da Associação Paulista de Críticos de Arte, em 2003, como o melhor livro de poesia do ano e foi, também, finalista do Prêmio Jabuti da Câmara Brasileira do Livro.
               Seu primeiro poema foi escrito aos 11 anos de idade e o primeiro livro, “Noturno maior”, aos 16. Nos últimos anos tem publicado livros especialmente em Portugal. Tem poemas traduzidos para o inglês, francês, italiano, espanhol, alemão, servo-croata e japonês.
              Seu livro “O sermão do Viaduto” iniciou o movimento de recitais públicos de poesia na cidade de São Paulo, quando foi lançado em pleno Viaduto do Chá, em abril 1965. Nesse local, fez nove recitais de poesia, com microfone e quatro alto-falantes, lendo os poemas desse livro. Por esse motivo foi preso cinco vezes pelo Dops, acusado de subversivo. Os recitais de O Sermão do Viaduto foram proibidos em agosto de 1966.
              Da Geração 60 de poetas de São Paulo, é talvez o único que partiu para outros gêneros literários, tendo publicado ao longo dos anos livros de poemas, crônicas, contos, novelas, romances, ensaios literários, livros de entrevistas e também escrito peças de teatro.

POESIA
 Noturno maior,  Portugal Ilustrado, São Paulo, 1963
Tempo final , gráfica da Fiesp, São Paulo, 1964
O Sermão do Viaduto, Brasil, São Paulo, 1965
4 Cantos de Pavor e alguns poemas desesperados, Alfa Ômega, São Paulo, 1973
Em legítima  defesa, Símbolo, São Paulo, 1978
Motivos alheios, Massao Ohno, São Paulo, 1983
Mulheres do shopping, Global, São Paulo, 1988
Lindas mulheres mortas, Traço, São Paulo, 1990
O azul irremediável, Maltese, São Paulo, 1992
Pequena antologia poética, Ócios do Ofício, Curitiba, 1996
Gesto nulo, Ócios do Ofício, Curitiba, 1998
20 poemas quase líricos e algumas canções para Coimbra, A Mar Arte,Coimbra,  Portugal, 1999
Terminal, Ócios do Ofício, Curitiba, 1999, e RG Editores, São Paulo, 2000
Vagas lembranças, Quaisquer, São Paulo, 2001
Poemas Portugueses, Alma Azul, Coimbra, Portugal, 2002
A palavra áspera, Íbis Libris, Rio de Janeiro, 2002
A noite, os cavalos, Escrituras, São Paulo, 2003
Trajetória poética – poesia reunida, Escrituras, São Paulo, 2003
Sete anos de pastor, Palimage, Coimbra, Portugal, 2005
Bocas vermelhas – poemas para um recital, RG, São Paulo, 2006
A memória do pai, Palimage,  Coimbra, Portugal, 2006
Babel – 50 poemas inspirados na escultura “Torre de Babel”, de Valdir Rocha - Escrituras, São Paulo, 2007
Inês, Palimage, Coimbra, Portugal, 2007
Habitación de Olvidos, Antologia, Fundación Salamanca Ciudad de Cultura, seleção e tradução do poeta espanhol Alfredo Perez Alencart, Salamanca, Espanha, 2007

FICÇÃO
O tribunal, novela, Martins, São Paulo, 1971
O defunto – uma história brasileira, novela, Símbolo, São Paulo, 1976
A faca no ventre, romance, Ática, São Paulo, 1979
A noiva da avenida Brasil, crônicas, Vertente, São Paulo, 1981
Autópsia, romance, Traço, São Paulo, 1986
Dias perversos, romance, Maltese, São Paulo, 1994

ENSAIOS
Cantares ao meu povo, antologia poética de Solano Trindade, organização, Brasiliense, São Paulo, 1981
Anjos poéticos, antologia de poemas, organização, Nova Alexandria, São Paulo, 1995
O sermão do viaduto 30 anos depois, Traço, São Paulo, 1997
INFANTIL
Strunca, Coleção Passelivre, Companhia Editora Nacional, 1985

PARTICIPAÇÃO DE ANTOLOGIAS NO BRASIL
Antologia dos novíssimos, Massao Ohno, São Paulo, 1961
Nova antologia brasileira da árvore, poesia, organização de Maria Thereza Cavalheiro, Iracema, São Paulo, 1974
Antologia Status de contos eróticos, Editora Três, São Paulo, 1977
Chame o ladrão, contos, organização de Moacir Amâncio, Edições Populares, São Paulo, 1979
Amor à brasileira, contos, organização de Caio Porfírio Carneiro e Guido Fidelis, Traço, São Paulo, 1987
Memórias de Hollywood, contos, organização de Julieta de Godoy Ladeira, Nobel, São Paulo, 1988
Maria Antonia: uma rua na contramão, narrativa, organização de Maria Cecília Loschiavo dos Santos, Nobel, 1988
Português, 2º grau, poema/crônica, Beth Griffi, Moderna, São Paulo, 1991
Escrevendo com o dicionário – Redação e exercícios – Livro do Professor, crônicas, Louzã de Oliveira e Luiz Borin, Lisa, São Paulo, 1991
Descoberta & Construção – Português – poema/crônica, Tadeu Rossato Bisognin, FTD, São Paulo, 1991
Contra lamúria, poesia, organização de Arnaldo Xavier e Roniwalter Jatobá, Casa Pyndahyba, São Paulo, 1994
Poesia na Escola – Antologia de poemas do autor – organização de Sílvia Helena Nogueira, Equipe da Oficina Pedagógica da Delegacia de Ensino Prof. Orestes Jannuzzi, de Jacareí, interior de São Paulo, onde por três anos um concurso anual de poesia entre os estudantes da cidade teve o nome do poeta, 1996
Poesia sempre, poesia, Fundação Biblioteca Nacional, Rio de Janeiro, 1996
Sejam bem-vindos os poetas, D.O.Leitura/Cultura, Secretaria de Cultura,             Imprensa Oficial do Estado, 1997
Natureza cidade, poesia, organização de José Pinto e Iuri Moraes, Ministério da Cultura/Volkswagen, São Paulo, 1997
Conjunto Nacional - A conquista da Paulista, crônica, Ângelo Iacocca, Origem, São Paulo, 1998
Fui eu, poesia, organização de Eunice Arruda, a partir de uma pintura de Valdir Rocha,Escrituras, São Paulo, 1998
Orion, poesia, organização de Maria Helena Nery Garcez e Benjamin Abdala Júnior (Brasil) e Teresa Rita Lopes (Portugal), Saraiva, São Paulo, 1999
Sarau, um aceno à Cena Poética, poesia, Centro de Encontros das Artes, São Paulo,  1999
Xilogravuras de Valdir Rocha, poesia, 27 poemas (Vagas lembranças), Escrituras, São Paulo, 2001
Os apóstolos, contos, organização de Márcia Denser, Nova Alexandria, São  Paulo, 2002
Poesia sempre, poesia, Fundação Biblioteca Nacional, Rio de Janeiro, 2002
Pescando peixes graúdos em águas brasileiras – Poetisas e poetas brasileiros, poesia, organização de Geraldo Pereira, Diálogo Poético, Goiânia, 2004
 NO EXTERIOR
Severino (A faca no ventre), in Latin american Novel, Shinsekaisha, Tóquio, Japão, 1983
Poemas, tradução do poeta peruano Ricardo Rodrigues, edição do tradutor, Lima, Peru, 1979
Poemas, tradução do poeta peruano Ricardo Rodrigues, edição do tradutor, Cidade do México, México, 1980
Poemas, tradução para o japonês de Mitsuko Kawai, Tóquio, Japão, 1985
Savremena Poezija Brazila -Antologia de poetas contemporâneos brasileiros,  organização de André Kizil, tradução para o servo-croata  de Nina Marinovic, Bagdala, Iugoslávia, 1987
15 poetas brasileiros contemporâneos, tradução do poeta chileno Oswaldo Ventura de la Fuente, organização de Manxa – Grupo Literário Guadiana, Imprenta Provincial, Ciudad Real, Espanha, 1987
Poemas, tradução para o japonês de Mitsuko Kawai, Tóquio, Japão, 1988
Literatura portuguesa e brasileira, poesia, João Almino e Arnaldo Saraiva, Congresso Portugal-Brasil Ano 2000/Fundação Calouste Guibenkian, Porto, Portugal, 2000
Nove poetas brasileiros, poesia, Elsa Ligeiro, Alma Azul, Coimbra, Portugal, 2000
Antologia de poetas brasileiros, poesia, organização de Mariazinha Congílio, Universitária, Lisboa, Portugal, 2000
Poesia do Mundo - reunindo poetas de 16 países - organização de Maria Irene Ramalho de Souza Santos, Afrontamento, Porto, Portugal, 2001
Antologia de Poetas Paulistas, organização de Mariazinha Congílio, Universitária, Lisboa, Portugal, 2001
Poetas revisitam Pessoa, organização de João Alves das Neves, Universitária, Lisboa, Portugal, 2003
Cenapoética/Scènepoétique, reunindo poetas brasileiros e franceses, organização de Celso de Alencar e Yvon De Menm, Limiar/Cena – Centro de Encontros das Artes, São Paulo/Paris, 2003
Poemas, Oficina de Poesia da Universidade de Coimbra, Palimage, Coimbra, Portugal, 2004/2005/2006
As pedras dos templários – Nos 800 anos de Idanha-a-Nova, poesia, ao lado de Vasco Graça Moura, Nuno Júdice, Ana Luisa Amaral e Fernando Aguiar, organização de Graça Capinha, Quasi, Biblioteca do Olhar, Portugal, 2006
Antologia palavras de vento e pedras, poesia, organização de Pedro Salvado,  Autarquia do Fundão, Portugal, 2006
Poesia, antologia de poesia brasileira, organização de Floriano Martins, Universidad de Carabobo, Departamento de Literatura de la Ddireción de Cultura, Venezuela, 2007.

Fonte de origem:

 http://www.alvaroalvesdefaria.com/#/biografia-1/4524384561

Domingo Na Usina: Biografias:Alan Dean Foster:



 (born November 18, 1946, New York City) is an author of dozens of fiction and non-fiction works and has had his works in more than 100 books. He received a Master of Fine Arts in Cinema from the University of California, Los Angeles in 1968. Foster's writing focuses primarily on science fiction and fantasy genres, although he has had some non-fiction published. Foster has had his works translated into over 50 languages. He wrote the novelization of A New Hope, as George Lucas' ghost writer, and the earliest Expanded Universe novel, Splinter of the Mind's Eye. He later returned to Star Wars writing with the Republic-era novel The Approaching Storm.

Foster will write the novelization of Star Wars: Episode VII The Force Awakens.[1]

Foster was profiled in the Bookshelf department of Star Wars Insider.


(nascido em 18 de novembro de 1946, Nova York) é um autor de dezenas de obras de ficção e não-ficção e teve suas obras em mais de 100 livros. Ele recebeu um Master of Fine Arts em Cinema pela Universidade da Califórnia, em Los Angeles, em 1968. A escrita de Foster se concentra principalmente na ficção científica e fantasia gêneros, embora ele tenha tido algum não-ficção publicados. Foster teve suas obras traduzidas para mais de 50 idiomas. Ele escreveu a novelização de Uma Nova Esperança, como escritor fantasma de George Lucas, o mais antigo e Universo Expandido novela, Splinter do olho da mente. Mais tarde, ele voltou para Star Wars escrita com o romance República-era a tempestade de aproximação.

Foster vai escrever a novelização de Star Wars:. Episódio VII A Força desperta [1]
Foster foi perfilado no departamento Bookshelf da Star Wars Insider.


http://starwars.wikia.com/wiki/Alan_Dean_Foster

Domingo Na Usina: Biografias: Jennifer Armintrout:


Jennifer L. Armentrout (Martinsburg, 11 giugno 1980) è una scrittrice statunitense di libri fantasy e urban fantasy.

Il New York Times ha inserito alcuni dei suoi lavori nella lista dei Best Seller. È considerata un'autrice trasversale, in grado di mantenere contatti con case editrici indipendenti, con case editrici tradizionali e muovendosi anche all'interno del self-publishing (autoedizione).

Ha anche scritto diversi libri con lo pseudonimo di J. Lynn

Opere (parziale)[modifica | modifica wikitesto]
Serie Lux[modifica | modifica wikitesto]
Shadows (novella, prequel di Obsidian) (6 novembre 2013)
Obsidian (26 luglio 2013)
Onyx (29 gennaio 2014)
Opal (12 novembre 2014)
Origin (11 febbraio 2015)
Opposition (24 giugno 2015)
Obsession ( Prossimamente in Italia, Spin-off)
Oblivion (prossimamente in Italia)
Serie Wait For You (come J.Lynn)

Ti aspettavo (gennaio 2014)
Ti fidi di me? (novella, luglio 2014)
Stai qui con me (ottobre 2014)
Rimani con me (febbraio 2015)
Torna con me (settembre 2015)
Dream of you (inedito in italia)
Forever with me (inedito in italia)
Fire in you (inedito in italia)
Serie Covenant

Daimon (inedito in Italia)
Half blood (inedito in italia)
Pure (inedito in Italia)
Deity ( inedito in Italia)
Elixir (inedito in Italia)
Apollyn (inedito in Italia)
Sentinel (inedito in Italia)
Serie Dark Elements

Dolce come il miele (novella prequel, 22 settembre 2014)
Caldo come il fuoco (14 aprile 2015)
Freddo come la pietra (7 luglio 2015)
Every last breath (inedito in italia)
Serie Wicked:

Lontano da te (28 maggio 2015)
Torn (Inedito in Italia)
Untitled (In fase di scrittura)

Jennifer L. Armentrout (Martinsburg, 11 giugno 1980) è una scrittrice norte-americano di libri fantasia e fantasia urbana.

Il New York Times ha inserito alcuni dei suoi lavori nella Lista dei Best Seller. È considerata un'autrice trasversale, em grado di mantenere contatti con caso editrici Indipendenti, con caso editrici tradizionali e muovendosi anche all'interno del auto-publicação (autoedizione).

Ha anche scritto diversi libri con lo pseudónimo di J. Lynn

Opere (parziale) [modifica | modifica wikitesto]
Serie Lux [modifica | modifica wikitesto]
Sombras (novela, prequel di Obsidian) (6 Novembro 2013)
Obsidian (26 luglio 2013)
Onyx (29 gennaio 2014)
Opal (12 novembre 2014)
Origem (11 febbraio 2015)
Oposição (24 giugno 2015)
Obsession (Prossimamente em Italia, Spin-off)
Oblivion (prossimamente em Italia)
Serie Wait For You (vir J.Lynn)

Ti aspettavo (gennaio 2014)
Ti fidi di me? (Novela, Luglio 2014)
Stai con me qui (ottobre 2014)
Rimani me enganar (febbraio 2015)
Torna con me (settembre 2015)
Sonho de você (inedito em italia)
Para sempre comigo (inedito em italia)
Fogo em você (inedito em italia)
Serie Covenant

Daimon (inedito em Italia)
Metade do sangue (inedito em italia)
Pure (inedito em Italia)
Divindade (inedito em Italia)
Elixir (inedito em Italia)
Apollyn (inedito em Italia)
Sentinela (inedito em Italia)
Serie Elementos escuro

Dolce come il Miele (novella prequel, 22 settembre 2014)
Caldo come il fuoco (14 aprile 2015)
Freddo vir La Pietra (7 luglio 2015)
Cada último suspiro (inedito em italia)
Serie mau:

Lontano da te (28 maggio 2015)
Torn (Inédito na Italia)
Untitled (Em fase di scrittura)



From Wikipedia, the free encyclopedia

Domingo Na Usina: Biografias: Ann Carol Crispin:


 (April 5, 1950 – September 6, 2013) was an American science fiction writer, the author of twenty-three published novels. She wrote several Star Trek novelizations and created an original science fiction series called Starbridge.

Career[edit]
Crispin's writing career began in 1983. As a writer of "tie-in" novels she was known for developing the backgrounds and emotional lives of on-screen characters.[1]

Two of her Star Trek novels — Yesterday's Son and Time for Yesterday — were direct sequels to the third season episode "All Our Yesterdays", and detail Spock and Zarabeth's son.[2] Yesterday's Son was the first non-novelization Star Trek novel to appear on the New York Times Best Seller list.[3] Her later Star Trek works included the novel Sarek, which takes place after Star Trek VI: The Undiscovered Country. Her best-known Star Wars work, The Han Solo Trilogy, chronicles the life of Han Solo prior to Star Wars Episode IV: A New Hope.[1] Crispin also wrote the novelizations for The V miniseries[1] and the film Alien Resurrection, as well as Sylvester, a girl and horse film starring Melissa Gilbert.[4]

She also created her own Starbridge series of novels, aimed primarily at young readers.[1]

Crispin served as Eastern Regional Director,[1] and then Vice President, of the Science Fiction and Fantasy Writers of America.[5] With Victoria Strauss, she founded Writer Beware, a "watchdog" group that is part of SFWA that warns aspiring writers about the dangers of scam agents, editors, and publishers.[5] Writer Beware was founded in 1998, and has assisted law enforcement and civil authorities in tracking and shutting down writing scams.[1][6]

On April 19, 2013, Crispin was named the 2013 Grandmaster by the International Association of Media Tie-In Writers (IAMTW).[1]

Personal life
On September 3, 2013, StarTrek.com posted Crispin's farewell message after her prolonged battle with cancer deteriorated and became terminal. In the message Crispin said, "I want to thank you all for your good wishes and prayers. I fear my condition is deteriorating. I am doing the best I can to be positive but I probably don't have an awful lot of time left. I want you all to know that I am receiving excellent care and am surrounded by family and friends."[7]

She died only three days later, at 63.[8]

Works
The Han Solo Trilogy
available as Star Wars: The Han Solo Omnibus (2000)
The Paradise Snare (1997), ISBN 0-553-57415-9
The Hutt Gambit (1997), ISBN 0-553-57416-7
Rebel Dawn (1997), ISBN 0-553-57417-5
Star Wars short stories
"Play It Again, Figrin D'an" (in Tales from the Mos Eisley Cantina, 1995)
"Skin Deep" (in Tales from Jabba's Palace, 1996)
Starbridge novel series
Starbridge (1989)
Silent Dances (1990) (with Kathleen O'Malley)
Shadow World (1991) (with Jannean Elliott)
Serpent's Gift (1992) (with Deborah A. Marshall)
Silent Songs (1994) (with Kathleen O'Malley)
Ancestor's World (1996) (with T. Jackson King)
Voices of Chaos (1998) (with Ru Emerson)
Star Trek
Yesterday's Son (1983)
Time for Yesterday (1988)
The Eyes of the Beholders (1990)
Sarek (1994)
Star Trek: Enter the Wolves (2001) (with Howard Weinstein)
Sand and Stars: Signature Edition (2004)
Witch World
Gryphon's Eyrie (1984) (with Andre Norton)
Songsmith (1992) (with Andre Norton)
V
V (1984)
V: East Coast Crisis (1984) (with Howard Weinstein)
V: Death Tide (1984) (with Deborah A. Marshall)
The Exiles of Boq’urain
Storms Of Destiny (2005)
Future projects: Exiles of Boq'urain Trilogy · Book 2 & 3
Miscellaneous
Sylvester (1985)
Alien: Resurrection (1997) (with Kathleen O'Malley)
Pirates of the Caribbean: The Price of Freedom (2011)
References[edit]
^ Jump up to: a b c d e f g Schudel, Matt (September 7, 2013). "A.C. Crispin dies at 63; author of sci-fi and tie-in novels". Washington Post. Retrieved September 8, 2013.
Jump up ^ Cheeseman-Meyer, Ellen (April 5, 2012). "The Yesterday Saga: Yesterday’s Son and Time for Yesterday". Tor.com. Retrieved September 10, 2013.
Jump up ^ Talking Trek and Pirates with Author A.C. Crispin, StarTrek.com
Jump up ^ Associated Press (September 6, 2013). "AC Crispin, science fiction author and advocate against literary scams, dies at age 63". Washington Post. Retrieved September 10, 2013.
^ Jump up to: a b "ABOUT WRITER BEWARE ®". Science Fiction & Fantasy Writers of America. Retrieved September 8, 2013.
Jump up ^ "In Memoriam: A. C. Crispin". Science Fiction & Fantasy Writers of America. September 6, 2013. Retrieved September 8, 2013.
Jump up ^ Ann Crispin Says Goodbye.
Jump up ^ Remembering Trek Author Ann Crispin 1950-2013.
External links[edit]
Official website
A. C. Crispin at the Internet Speculative Fiction Database
List of works at Fantastic Fiction
StarBridge ebooks
Crispin named Grandmaster by the International Association of Media Tie-In Writers
A. C. Crispin at Library of Congress Authorities, with 24 catalog records.

Fonte de origem:

https://en.wikipedia.org/wiki/Ann_C._Crispin