domingo, 8 de janeiro de 2017

Domingo Na Usina: Biografias:Joseph Conrad:

Joseph Conrad
Joseph Conrad em 1904
NacionalidadeReino Unido britânico
Data de nascimento3 de dezembro de 1857
Local de nascimentoBerdichev, Kiev, Império Russo
Data de morte3 de outubro de 1924 (66 anos)
Local de morteBishopsbourne, Kent
Gênero(s)Psicodelismomodernismo
OcupaçãoRomancistacontista
Período de atividade1895–1923
Obra(s) de destaqueAlmayer's Folly (1895)
An Outcast of the Islands(1896)
"The Lagoon" (1896)
"An Outpost of Progress" (1896)
The Nigger of the 'Narcissus'(1897)
"Youth" (1898)
Heart of Darkness (1899)
Lord Jim (1900)
"Amy Foster" (1901)
Typhoon (1902)
The End of the Tether (1902)
Nostromo (1904)
The Secret Agent (1907)
"The Duel" (1908)
"The Secret Sharer" (1909)
Under Western Eyes (1911)
Victory (1915)
CônjugeJessie George
FilhosBorys, John
Assinatura
Joseph Conrad
, de nome de baptismo Józef Teodor Nałęcz Korzeniowski1 :11-12 (Berdyczew, 3 de dezembro de 1857 Bishopbourne, 3 de agosto de 1924) foi um escritor britânico de origem polaca.2 Muitas das obras de Conrad centram-se em marinheiros e no mar.Conrad foi educado na Polónia ocupada pela Rússia. O seu pai, um aristocrata empobrecido de Nałęcz, foi escritor e militante armado, sendo preso pelas suas actividades contra os ocupantes russos e condenado a trabalhos forçados na Sibéria. Pouco depois, a sua mãe morreu de tuberculose no exílio, e quatro anos depois também o seu pai, apesar de ter sido autorizado a voltar a Cracóvia. Destas traumáticas experiências de infância durante a ocupação russa é possível que Conrad derivasse temas contra o colonialismo como no romance Heart of Darkness (Coração das trevas). A sua última obra publicada em vida foi 'The Rover'(1923), onde conta a história de Peyrol, um pirata que decide reformar-se.
Foi colocado sob os cuidados de seu tio, uma figura mais cautelosa do que qualquer um de seus pais, que não obstante, permitiu que Conrad viajasse para Marselha e começasse sua carreira como marinheiro com a idade de 17 anos. Em 1878, depois de uma tentativa falhada de suicídio, passou a servir num barco britânico para evitar o serviço militar russo. Aos 21 anos tinha aprendido inglês, língua que mais tarde dominaria com excelência. Conseguiu, depois de várias tentativas, passar no exame de Capitão de barco e finalmente conseguiu a nacionalidade britânica em 1884. Pôs pela primeira vez o pé em Inglaterra no porto de Lowestoft,Suffolk, e viveu em Londres e posteriormente perto de CantuáriaKent.
O filósofo Bertrand Russell, que veio a conhecê-lo depois da sua chegada a Inglaterra, tinha verdadeiro fascínio pela sua obra, em especial, pela obra Coração das trevas. (O grau de amizade foi tal que Russell baptizou um de seus filhos com o nome "Conrad".)

Obras:

  • ayer's Folly (1895)
  • An outcast of the islands (1896)
  • The Nigger of the "Narcissus" (1897)
  • Tales of Unrest (1898)
  • Lord Jim (1900)
  • The Inheritors (1901)
  • Youth and other stories (1902)
  • Coração das Trevas (1902)
  • Romance (1903)
  • Typhoon and other stories (1903)
  • Nostromo (1904)
  • The Mirror of the Sea (1906)
  • O Agente Secreto (1907)
  • A set of six (1908)
  • The Secret Sharer (1910)
  • Under Western Eyes (1911)
  • Twixt land and sea (1912)
  • Some Reminescences (1912)
  • Chance (1913)
  • Victory: an island tale (1915)
  • Within the tides (1915)
  • The shadow-line (1917)
  • The Arrow of Gold (1919)
  • Prince Roman (1920)
  • The Warrior's Soul (1920)
  • The Rescue (1920)
  • Notes on life and letters (1921)
  • The Black Mate (1922)
  • The Rover (1923)
  • The Nature of a Crime (1924)
  • Laughing Anne and one day more (1924)
  • Suspense (1925)
  • Tales of Hearsay (1925)
  • Last Essays (1926)
  • The life and letters of Joseph Conrad (2 vols.) (1927)
  • The Sisters (1928)(inacabado)
  • Congo diary and other uncollected pieces (1978)
  • The Collected Letters of Joseph Conrad (5 vols.) (1983-96)

Fonte de Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Joseph_Conrad

Domingo Na Usina: Biografia de Graciliano Ramos:

Escritor brasileiro
Graciliano Ramos (1892-1953) foi escritor brasileiro. O romance "Vidas Secas" foi sua obra de maior destaque. É considerado o melhor ficcionista do modernismo e o prosador mais importante da segunda fase do Modernismo. Suas obras embora tratem de problemas sociais do Nordeste brasileiro, apresentam uma visão crítica das relações humanas, que as tornam de interesse universal. Seus livros foram traduzidos para vários países. Seus trabalhos "Vidas Secas", "São Bernardo" e "Memórias do Cárcere", foram levados para o cinema. Recebeu o Prêmio da Fundação William Faulkner, dos Estados Unidos, pela obra "Vidas Secas".
Graciliano Ramos (1892-1953) nasceu na cidade de Quebrângulo, Alagoas, no dia 27 de outubro de 1892. Era o primogênito de quinze filhos, de uma família de classe média do sertão nordestino. Passou parte de sua infância na cidade de Buíque, em Pernambuco, e parte em Viçosa, Alagoas. Fez seus estudos secundários em Maceió. Não cursou nenhuma faculdade.
Em 1910 foi com a família, morar em Palmeira dos Índios, Maceió, onde seu pai abriu um pequeno comércio. Em 1914 foi para o Rio de Janeiro trabalhar como revisor dos jornais Correio da Manhã e A Tarde. Voltou para a cidade de Palmeira dos Índios onde trabalhou com o pai, no comércio. Em 1927 foi eleito prefeito da cidade, assumindo o cargo em 1928. Mudou-se para Maceió, em 1930, onde assumiu a direção da Imprensa Oficial e da Instrução Pública do Estado.
Graciliano Ramos estreou na literatura em 1933 com o romance "Caetés". Nessa época mantinha contato com José Lins do Rego, Raquel de Queiros e Jorge Amado. Em 1934 publicou o romance "São Bernardo" e em 1936 publicou "Angustia". Nesse mesmo ano, ainda no cargo de Diretor da Imprensa Oficial e da Instrução Pública do Estado, foi preso sob acusação de participar do movimento de esquerda. Após sofrer humilhações e percorrer vários presídios, foi libertado em janeiro de 1937. Essas experiências pessoais e dolorosas de sua vida, foram retratadas no livro "Memórias do Cárcere", publicado após sua morte. O romance "Vidas secas", escrito em 1938 é a sua obra mais importante.
Graciliano Ramos seguiu para o Rio de Janeiro, onde fixou residência e foi trabalhar como Inspetor Federal de Ensino. Em 1945 ingressou no partido comunista brasileiro. Em 1951 foi eleito presidente da Associação Brasileira de Escritores. Em 1952 viajou para os países socialistas do Leste Europeu, experiência descrita na obra "Viagem", publicada em 1954, após sua morte.
Graciliano Ramos morreu no Rio de Janeiro, no dia 20 de março de 1953.
Obras de Graciliano Ramos
Caetés, romance, 1933
São Bernardo, romance, 1934
Angústia, romance, 1936
Vidas Secas, romance, 1938
A Terra dos Meninos Pelados, literatura juvenil, 1942
História de Alexandre, literatura juvenil, 1944
Dois Dedos, literatura infantil, 1945
Infância, memórias, 1945
Histórias Incompletas, literatura infantil, 1946
Insônia, contos, 1947
Memórias do Cárcere, memórias, 1953
Viagem, memórias, 1954
Linhas Tortas, crônicas, 1962
Viventes das Alagoas, costumes do Nordeste, 1962
Informações biográficas de Graciliano Ramos:

Data do Nascimento: 27/10/1892
Data da Morte: 20/03/1953
Nasceu há 121 anos
Morreu aos 60 anos
Morreu há 60 anos

Domingo Na Usina: Biografias:Simões Lopes Neto:

Escritor brasileiro
9 de março de 1865, Pelotas, RS (Brasil)
14 de junho de 1916, Pelotas, RS (Brasil)
Da Página 3 Pedagogia & Comunicação

João Simões Lopes Neto passou a infância nas estâncias de propriedade dos avós, no interior do Rio Grande do Sul. Aos 13 anos partiu para o Rio de Janeiro, onde estudaria no Colégio Abílio e, a seguir, na Faculdade de Medicina.
Por motivos de saúde, contudo, abandonou os estudos e retornou ao Sul, para residir em sua cidade natal, Pelotas, onde trabalhou como professor, tabelião, funcionário público, comerciante e industrial.
Em Pelotas, incentivou a vida cultural, escrevendo peças para grupos de teatro amador e participando de iniciativas que visassem à preservação das tradições gaúchas. Atuou também na imprensa, nos jornais A Opinião Pública e O Correio Mercantil, às vezes usando o pseudônimo de João do Sul.
Principal figura do regionalismo rio-grandense, Simões Lopes Neto deixou pequena obra de ficção: dezoito contos (in Contos gauchescos, 1912) e algumas lendas (in: Lendas do Sul, 1913) recontadas de maneira literária.
Os contos são narrados pelo vaqueano Blau Nunes, no qual, segundo José Paulo Paes, Simões Lopes Neto "encarnou sua nostalgia do velho Rio Grande, o Rio Grande do Império e da Primeira República, cuja rude sociedade pastoril, com seu código de bravura pessoal, lhe forneceu os heróis e os motivos de sua novelística".
O escritor narra suas histórias em primeira pessoa, o que concede autenticidade aos ambientes e personagens. Às vezes, o linguajar prepondera sobre a trama, diminuindo a força da narrativa, mas, em alguns casos, o drama dos personagens avulta, concedendo vida a contos admiráveis. É o que acontece, por exemplo, em "Trezentas onças", "O boi velho", "O chasque do imperador" e "Contrabandista".
Quanto às lendas, três são verdadeiras obras-primas: "A boitatá", "A Salamanca do Jarau" e "O Negrinho do Pastoreio".
Após uma sequência de desastres no mundo dos negócios, Simões Lopes Neto faleceu em completa pobreza.

Domingo Na Usina:Biografia: Antônio Abujamra:


Antônio Abujamra é conhecido pela irreverência de suas encenações e por seu humor crítico em relação a tabus sociais. Começou no teatro amador, na peça Assim é se lhe parece, atuando no Teatro Universitário de Porto Alegre.

Como diretor, foi um dos principais da antiga TV Tupi e, como ator, teve atuação destacada.
Em 1998, esteve em Monte Carlo, principado de Mônaco, ao lado de celebridades como Claudia CardinaleAnnie Girardot e Yehudi Menuhin, no júri do Festival Mundial de Televisão, como único latino-americano convidado.
Foi pai do também ator e músico André Abujamra. As atrizes Clarisse Abujamra e Iara Jamra são suas sobrinhas.
Antônio Abujamra foi quem levou o ator Othon Bastos para a televisão, depois do grande sucesso do ator ao interpretar Corisco no filme Deus e o diabo na terra do sol deGlauber Rocha.
Comandou o programa Provocações, da TV Cultura, no ar desde 6 de agosto de 2000. Atualmente é exibido todas as terças-feiras, às 23h30, com reapresentação na madrugada de quarta para quinta-feira, às 4h30.

Morte[editar | editar código-fonte]

Foi encontrado morto em sua casa, em 28 de abril de 2015, ainda sem explicação.1

Carreira[editar | editar código-fonte]

Na televisão[editar | editar código-fonte]

Como diretor
Como ator

No cinema[editar | editar código-fonte]

No teatro[editar | editar código-fonte]

Entre seus principais trabalhos em teatro encontram-se Volpone", de Ben Johnson; Hair, de Gerome Ragni e James RadoA secreta obscenidade de cada dia, de Manuel Antonio de la Parra; Retrato de Gertrude Stein quando homem, texto seu sobre a vida e obra da autora, e O inferno são os outros, de Sartre.

Premiações[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Ir para cima G1: Ator e diretor Antônio Abujamra morre em São Paulo. Visitado em 28 de abril de 2015.
  2. Ir para cima SBT divulga elenco completo de "Corações Feridos" NaTelinha (1 de setembro de 2010). Visitado em 8 de dezembro de 2010.
  3. Ir para cima Brichos 2 encara seu grande desafio Jornal Gazeta do Povo (ed. de janeiro de 2013)
Fonte:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Ant%C3%B4nio_Abujamra

10 melhores escritores brasileiros de 2010:

1 - Eduardo Spohr: Não dá pra negar que 2010 foi o ano deste escritor nerd, e carioca. Embora A batalha do Apocalipse venha com uma história e um passado, eclodiu mesmo para o grande público este ano, onde o estreante foi figura carimbada na lista de mais vendidos; [33%]

2 - Raphael Draccon: O escritor carioca também não fica pra trás no quesito nerd. Com uma coluna num dos pincipais blogs brasileiros, o Sedentário e Hiperativo, Draccon tem como grande marca ser solicito e esbanjar na dicas para que está começando na carreira.Aos 25 anos tornou-se o autor mais jovem a assinar com a editora espanhola Planeta do Brasil, permanecendo por 06 meses entre seus autores mais vendidos. Sua trilogia Dragões de Éter tem como casa editorial ninguém mais que o grupo Leya, gigante do setor;[23%]

3 - André Vianco: Esse cara bem antes do cenário positivo para escritores nacionais ousou investindo sua grana do FGTS em seu trabalho, e hoje além de ser um dos mais vendidos é referência quando o assunto se trata de vampiros, sabe aqueles de verdade, que gostam de sangue e morte; [10%]

4 - Luis Fernando Veríssimo:Esse gaúcho filho de Érico Veríssimo dispensa qualquer apresentação. Dono, na minha opinião de um dos melhores e mais divertidos textos do país, seus livros são marcantes assim como seus trabalhos para jornais. É ele o pai de personagens célebres como Ed Mort e O analista de bagé;[9%]

5- Babi Dewet: Essa jovem carioca, blogueira e escritora tem atraido muito a atenção para seu livro de estréia, Sábado a noite, principalmente pelo boa aceitação que a obra está tendo junto aos principais blogs literários do país conseguindo boas resenhas e crítica; [5%]

6 - Helena gomes: Escritora paulista com uma vasta obra no gênero fantasia, com destaque para sua Saga: A caverna de Cristais; [4%]

7 - Fabricio carpinejar: Esse poeta gaúcho é hilário. Em 2010 lançou Mulher Perdigueira falando das mulheres ciumentas; [3%]

8 - Leandro Reis: Outro jovem autor com destaque para seus dois livros da obra Filhos de Galagh; [3%]

9 - Thalita Rebouças: Escritora televisiva com quadros em programas da Rede Globo, tem sua obra marcada por livros direcionados a adolescentes; [3%]

10 - Martha Medeiros: A autora e cronista gaúcha conhecida por seus textos que envolvem o universo feminino e seus dilemas; [1%]
Fonte: Enquete com leitores do Listas Literárias nas categorias em aberto.

Fonte:http://listasliterarias.blogspot.com.br/2011/01/10-melhores-escritores-brasileiros-de.html

Pensamento do Dia:

“Tentar esquecer um grande amor, é como subtrair o próprio desejo de viver.”



Esta e mais de 90 outras frases estão nesta edição comemorativa.
Para fazer o download grátis do livro basta clicar no link a baixo: