quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

Quarta Na Usina: Poetisas Da Rede:Violeta Disla:




MUY CERCA DE MI, ACASO YO TE BENDIGO VIDA. POR QUE NUNCA ME DISTE NI ESPERANZA FALLIDA, NI TRABAJOS INJUSTOS, NI PENAS INMERECIDAS. PORQUE VEO AL FINAL DE MI DURO CAMINAR, QUE YO FUI EL ARQUITECTO DE MI PROPIO DESTINO, QUE SI EXTRAJE LAS HIELES O LA MIEL DE LAS COSAS, FUE POR QUE EN ELLAS PUSE HIEL Y MIELES SABROSAS Y CUANDO PLANTE ROSALES, COSECHE SIEMPRE ROSAS. CONCRETO A MI LEJANIA VA A SEGUIR EL INVIERNO, MAS TU NO ME DIJISTE QUE MAYO FUERA ETERNO. HALLE SIN DUDAS LARGAS LAS NOCHES DE MIS PENAS, MAS NO ME PROMETISTE TAN SOLO NOCHES BUENAS Y EN CAMBIO TUVE ALGUNAS SANAMENTE SERENA. AME FUI AMADA, EL SOL ME ACARICIO MI FAZ. VIDA, NADA ME DEBES, VIDA ESTAMOS EN PAZ.

MUITO PERTO DE MIM, TALVEZ EU TE ABENÇOE VIDA. VOCÊ NUNCA ME DEU OU ESPERANZA FALHOU, OU INJUSTA TRABALHAR IMERECIDO CASTIGO. PORQUE EU VEJO NO FINAL DA MINHA CAMINHADA DIFÍCIL, EU ERA O ARQUITETO DO MEU DESTINO, QUE SE EXTRAI O HIELES OU COISAS QUERIDA, FOI QUE ELES COLOCARAM FEL E MEL SABOROSO E QUANDO PLANTE ROSALES, SEMPRE COLHER ROSAS. CONCRETO MINHA DISTÂNCIA SEGUIRÁ O INVERNO, MAS VOCÊ NÃO ME DISSE QUE QUE PODE ERA ETERNA. HALLE, SEM DÚVIDA, LONGAS NOITES DE MINHAS FRASES, MAS NÃO ME PROMETEU APENAS BOAS NOITES E EM VEZ DISSO, TINHA ALGUNS SERENA SAUDÁVEL. AMOR, ADOREI, O SOL ME ACARICIANDO MEU ROSTO. VIDA, NADA PRECISO, ESTAMOS EM PAZ.

Quarta Na Usina: Poetisas Da Rede: Lupita Molina de Hoyos: LOCURA DE AMOR:


Te ame tanto que sentía morir cuando no te tenía, 

el aire me faltaba cuando te alejabas y la cordura poco a poco me abandonaba .



Despertaba a tu lado, 
caminaba de tu mano 
y por las noches tus brazos eran los que me cobijaban.

Dormía para soñar con tus besos 
y dejabas en cada uno de ellos vida para vivir y sueños para seguir.

Miraba al cielo para acortar nuestra distancia, 
pedía a la luna que siempre me amaras 
para que jamás te alejaras 
pero un día te fuiste 
y todo se volvió triste.

La locura por tu amor en mi surgió 
y a gritos lloraba pidiendo regresaras, camine sola sin tomarme de tu mano, y mis ojos se negaban a cerrarse, 
pues en mis sueños ya no te miraba.

No sentía ya esos besos que en mis sueños locos me dabas 
y dejaron de darme la vida que con ellos me brindabas.
ahora tus brazos ya no me cobijan, 
y camino sola por la vida.

La cordura completamente me ha abandonado 
dando paso a ese trastorno que tus besos y tus brazos en un maravilloso día me brindaron.

Y me doy cuenta que ese amor 
sólo en mis sueños locos existió 
convirtiéndolos en una maravillosa locura de amor

Lupita Molina de Hoyos 
Mexico 02 - 09 - 2014
Derechos Reservados

Quarta Na Usina: Poetisas Da Rede: Vólia Loureiro:ABRIGO:


Queria, hoje, o teu abraço.
Que ele fosse o meu abrigo,

O meu ninho, todo meu espaço.



Queria, hoje, o teu olhar.

Que a tua luz fosse o meu Sol.
A minha bússola, o meu farol.

Queria, hoje, os teus ouvidos.
Que eles pudessem guardar meu canto,
E os versos que apenas dizem: Te amo tanto!

Queria, hoje, a tua voz.
Que ela estivesse, branda, macia.
E me cantasse uma canção de ninar.

E, assim, eu adormeceria,
Aninhada em teus braços,
Sob a luz do teu olhar,
Vazia dos meus medos.
E, feliz, eu poderia voltar 
A sonhar.

26/08/2014

Quarta Na Usina: Poetisas Da Rede: Sophia Grimm:


Se minha felicidade te incomoda...

Faça um verso...

Diga adeus
E vá-se embora...
Não vou deixar de ser feliz...
Não deixarei de viver...
Por que as flores não falam...
Elas exalam o mais puro perfume...
Quem não valoriza, perde...
O tempo passa... 
Tic tac, tic tac...
A vida passa... 
Tic tac tic tac...
Ameaças não mais me detem...
O medo... 
O que é o medo...
Senti tanto... 
Já não o termo...
O enfrento...
O encaro...
O que tiver que ser...
Não deixará de acontecer por causa do meu medo...
Então... 
Viverei...
E pra você...
Quer está atrelado a mim...
Cure tua vida...
Tua mente...
Tua careencia...
Tua necessidade de afirmação...
Quando esquecemos, deixamos em paz...
Não lembramos...
Não ameaçamos...
Apagamos da memória...
Não fazemos história...
Da minha parte...
Adeus...
Que a felicidade te acompanhe...

Sophia Grimm

Quarta Na usina: Poetisas Da rede: Vera Lucia Dal Sasso:



No teu olhar inexistente
Que um dia já foi tão presente
Dias e noites sem fim
Eternizando-nos assim
Toda dor tem um quê
Não me pergunte o porquê
Basta o tempo
Deixe-o passar a limpo
Feridas cicatrizam
Dores passam
Se amar for sofrer
Assim não quero viver
Quero de volta sorrir
E ter meu tempo de agir
E nessa agonia
Puro resultado de melancolia
Tudo me abala
Nada me acalma
Cheia de dor
E enorme pavor
Temo a noite
Que o traz em sonho como açoite
O pesadelo me domina
Quem um dia me fascina
E dizer novamente paz
Em lindo momento fugaz

Vera Lucia Dal Sasso 26/08/14

Quarta Na Usina: Poetisas Da Rede:Lua Marim:




Um dia me perdi no caminho
de um amor tão louco e intenso,
que jamais pensei em encontrar
novamente um atalho que me
levasse para outro caminho.
E então descobri que não dependo
de um amor para ser feliz, mas sim
de mim, pois a felicidade esta dentro
de mim e são as minhas atitudes 
que me proporcionam novos atalhos
todos os dias.

Lua marim

Quarta na usina: Poetisas Da Rede:Silvana Ribeiro :Encontro anônimo:


Quando nossos anônimos olhos se encontraram
Logo se aproximaram

E depois se distanciaram

Nossos pensamentos os reencontraram
E na universalidade cósmica
Nossos olhos e pensamentos se desabrocharam
Como uma estrela brilhante que desaponta no céu
Materializando nosso encontro carnal e espiritual
Fazendo nascer um sentimento universal



(Poesia atemporal)



Por: Silvana Ribeiro 

Pensamento do Dia:

“Mais vale a perversa dor da navalha da solidão, do que a companhia indesejada da desilusão.”



Esta e mais de 90 outras frases estão nesta edição comemorativa.
Para fazer o download grátis do livro basta clicar no link a baixo: