quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Poesia De Quinta Na Usina: D'Araújo:ELA:


ELA
Antonio d´Araujo Silva

Um nome poético e sereno,
Em uma pequena face de princesa,
Tudo em ti é beleza.

Sorriso sincero,
Olhar marcante, e um corpo insinuante.
E muito distante do meu mal pensar.

Altura ideal, andar sem igual.
Uma boca que exala uma leve fala,
Que é quase um murmurar

Cabelos rebeldes que às vezes me pede
O toque ideal. Com aquele incomparável
cheiro de puro desejo.
Ai que vejo que tudo é normal.

Nome, face, sorriso, olhar, altura, boca,
Fala cabelo e cheiro, tudo do mesmo corpo,
que só insulta meus impiedosos sentimentos de desejo...

Antonio de Araujo Silva
São Bernardo do Campo - Brasil

Poema que faz parte da coletânea da Fênix Logos 8 Maio 2014: Uma primorosa obra de Arte literária: Meus sinceros agradecimentos a está fantástica autora e divulgadora da literatura mundial; Carmo Vasconcelos: Pela oportunidade de fazer parte deste lindo projeto:

Acesse o link e confira todos os autores que fazem parte da obra:



Poesia De Quinta Na Usina: Fernando Pessoa: Cada dia sem gozo não foi teu.


Cada dia sem gozo não foi teu
Foi só durares nele. Quanto vivas
Sem que o gozes, não vives.
Não pesa que amas, bebas ou sorrias:
Basta o reflexo do sol ido na água
De um charco, se te é grato.
Feliz o a quem, por ter em coisas mínimas
Seu prazer posto, nenhum dia nega

A natural ventura!

Poesia De Quinta Na Usina: Paulo Leminski:





Hesitei horas
antes de matar o bicho. Afinal,
era um bicho como eu, com direitos,
com deveres. E, sobretudo,

incapaz de matar um bicho, como eu.

Poesia De Quinta Na Usina: Paulo Leminski:



Ruas cheias de gente. Seis horas.

Comida quente. Caçarolas.

Poesia De Quinta Na Usina: Luís de Camões: Soneto 083:



Amor, com a esperança já perdida, teu soberano templo visitei;
por sinal do naufrágio que passei, em lugar dos vestidos, pus a vida.

Que queres mais de mim, que destruída me tens a glória toda que alcancei? Não cuides de forçar me, que não sei tornar a entrar onde não há saída.

Vês aqui alma, vida e esperança, despojos doces de meu bem passado, enquanto quis aquela que eu adoro:

nelas podes tomar de mim vingança; e se inda não estás de mim vingado,

contenta te com as lágrimas que choro.

D'Araujo: Vídeo do Face book:




Pensamento do Dia:

Devemos viver sempre entrelaçado a cada alvorecer, pelo desejo do amar eterno”.

“Confortavelmente feliz, na leveza do anoitecer com a alma plena.”



Esta e mais de 90 outras frases estão nesta edição comemorativa.
Para fazer o download grátis do livro basta clicar no link a baixo:

Poesia De Quinta Na Usina: Luís de Camões: Soneto 080:



Alma minha gentil, que te partiste tão cedo desta vida descontente, repousa lá no Céu eternamente,
e viva eu cá na terra sempre triste.

Se lá no assento etéreo, onde subiste, memória desta vida se consente,
não te esqueças daquele amor ardente que já nos olhos meus tão puro viste.
E se vires que pode merecer te algüa causa a dor que me ficou
da mágoa, sem remédio, de perder te,


roga a Deus, que teus anos encurtou, que tão cedo de cá me leve a ver te, quão cedo de meus olhos te levou.

Poesia De Quinta Na Usina: D'Araujo: "O Grito:Sarau Beco dos Poetas 30 03 2014




2º Poema: O grito:


Então nós não vamos fazer nada.
A truculência vencendo o bom censo.
A violência estampada na cara
De cada um de nós.

Até quando vão tombar,
Manoel, João e Joaquim?
Até quando os eleitos vão ficar
Trancados em seus palacetes
A ignorar a realidade que os cercam.

Até quando vamos blindar nossas fortalezas
Enquanto os filhos da corrupção em seus barracões
Tramam mais uma ação?

Será que todos eles vão fechar os olhos
E entupir os próprios ouvidos
Com os dólares da nação
Enquanto mais um nos semáforos da vida
Estende-nos a mão.

E todos nós com aquele olhar superior não Chegamos 
a enxergar sequer a dor daquele que não vê amor
E sim a dor do abandono.

Até quando vamos assistir
A meia dúzia de hipócritas
Levar o sonho de nossas crianças
Pelo ralo do poder?

E todos nós tendo que nos esconder de nós mesmos.
Até quando você vai ficar aí parado
Sem ter a coragem de sequer olhar pro lado?

Olhe, veja, fale grite, se faça ouvir, porque o futuro, e hoje é aqui.