sexta-feira, 31 de março de 2017

Sexta Na Usina: Poetas da Rede: ni brisant:


Era tão superficial, 
que afogou-se em um copo d'água 

sem gás. 



[dos barris dobrados, ni brisant]




















Link para adquirir o Livro: Calabouço contos e outros:
http://24.233.183.33/cont/login/Index_Piloto.jsp?ID=bv24x7br

Sexta Na Usina: Poetas da rede; Corazón De Poeta:


NO QUIERO ESTAR SIN TI 

SI TÚ AMOR NO ESTÁ AQUÍ

ME SOBRA TODO ESTE AIRE 
NO QUIERO ESTAR ASÍ 
SIN TI, LA GENTE SE HACE NADIE.
SI TÚ NO ESTÁS AQUÍ, NO SÉ
QUE DIABOS HAGO PENSANDOTE 
SI TÚ A MI LADO NO ESTÁS 
ENTONCES TÚ ME COMPRENDERAS
PORQUE QUIERO ENTEDER, EL PORQUE TE VAS.
NO QUIERO ESTAR SIN TI
SI TÚ NO ESTÁS, MI MENTE NO SUEÑA
POR ESO NO QUIERO ANDAR ASÍ
LATIENDO COMO CORAZÓN SIN DUEÑA.
SI UN DÍA YA NO TE TENGO, VACIARÉ ESTE SUEÑO 
Y LO MÁS GRANDE, SE HARÁ LO MÁS PEQUEÑO.
PASEARÉ EN UN CIELO SIN ESTRELLAS ESTA VEZ
TRATANDO UNA VEZ MAS DE ENTENDER 
COMO HICISTE DE MI INFIERNO UN PARAÍSO 
Y AHORA TE VAS, PORQUÉ EL DESTINO ASI LO QUIZO. 
POR ESO NO PUEDO ESTAR SIN TI
ME QUEMA EL AIRE SI TÚ NO ESTÁS AQUÍ
SI TÚ NO ESTAS AQUÍ… NO SÉ.
LAS GANAS DE VIVIR, PIERDEN SU FÉ.
Não quero ficar sem você

Se você amor não está aqui

Me sobra todo este ar
Não quero estar assim
Sem ti, as pessoas se há ninguém.
Se você não estiver aqui, não sei
Que demonios faço pensandote
Se você ao meu lado você não está
Então você me comprenderas
Porque quero enteder, o porque você estiver.
Não quero ficar sem você
Se você não está, minha mente não sonha
Por isso não quero andar assim
Latiendo como coração sem controlo.
Se um dia já não te tenho, vaciaré este sonho
E o maior, se fará o mais pequeno.
Pasearé em um céu sem estrelas, desta vez
Mais uma vez a tentar compreender
Como você fez do meu inferno um paraíso
E agora você estiver, por que razão o destino-o quizo.
Por isso não posso ficar sem você
Me queima o ar se você não está aqui
Se você não estas aqui... Não sei.
A vontade de viver, perdem a sua fe.

sexta Na Usina: Poetas Da Rede:João Marcos Mouzartt Francisco:


O lado escuro da alma
O lado escuro da poesia 

A nostalgia de um amor perdido 

Um falido coração


O que já não pode ser visto 
O que é mal quisto pelos olhos 
Espólios de uma colisão

Não se trata de amar ainda 
Mas da vinda precoce e certeira 
De uma derradeira imolação

É bem verdade que é passado 
Mas mesmo em estado intangível 
Se torna sensível na imaginação

Do futuro outrora perdido 
Que por ser pedido permanente 
Vem a mente, à exaustão

E com carinho ainda se trata 
Pois não se mata sentimento bonito 
Mesmo que maldito e sem consolação

No lado escuro da alma 
A calma que não pode ser vista 
Lembranças à vista, de uma antiga paixão

J. M. M. F.

Sexta Na Usina: Poetas Da Rede: Geraldo Aguiar:- O - R - Q - U - Í - D - E - A:


Falei de flores,

Pediram-me orquídeas, 

Andei a vagar...
Pois nem sei como 
E onde encontrar.



Oh, misteriosa flor...
Musa dos meus encantos!
Onde estarás?

O teu perfume me enfeitiça....
Sinto-o no ar, arrebata-me
Envolve-me a mística brisa da flor.

Avisto uma rocha...
Lá está ela
Numa escarpada de difícil acesso.
Meus olhos compridos
Alcançaram-te, por fim
Mas as minhas mãos ficavam longe...
E tu tão linda!

Entrelaçada entre
Um tronco e uma rocha...
E eu te cobiçando,
Oh flor selvagem!

Só em rapel a alcançaria
Mas, eu que sou um atleta da poesia
Reuni toda minha adrenalina
E dei um adeusinho de saudade...
Voltei pra casa, frustrado das orquídeas.

Geraldo Aguiar

Sexta Na Usina: Reinaldo Jose Cassiano:


Senhorita, senhorita.
Menina mulher. Faceira e guerreira
Quem entre os mortais não há quer.
As fantasias que tive, e as tenho.
No teu corpo vou realizar.
Beijar tua boca, teus cabelos pentear.
Ouço a musica.
Quem vai dizer que paixão não e loucura.
Tem de ver, meu devaneio.
Tem que caminhar junto ao meu passeio.
Onde horas fico a enamorar.
Menina mulher.
Senhorita, senhorita.
Minhas mãos querem as tuas, meus sonhos
Querem apenas serem verdades, a teu lado.
Um passado apenas a apagar. 


Texto. Senhorita.

Data. 02.12.2013

Autor. Reinaldo Jose Cassiano;











Link para adquirir o Livro: Calabouço contos e outros:
http://24.233.183.33/cont/login/Index_Piloto.jsp?ID=bv24x7br

Sexta Na Usina: Poetas Da Rede: Alexandre Pagniozzi Gonçalves:


 E como ultimo suspiro!


Meus olhos aos seus
Guiam-me rumo ao teu
Coração numa explosão.


E sem explicação nas

Chamas que se ascendem

Ao toque de nossas mãos.



E com grande sedução

Tocamos nossos lábios

Com beijo bem molhado.



Sem controle de nossos

Corpos já imploram por 

Impulso serem tocados.



Um desejo enlouquecedor,

Nas pouses sensuais e

Provocantes que fazemos.



Neste êxtase hora segue

Contemplando-se nossos

Corpos ao grande amor



E como ultimo suspiro!

Brado o mais alto!

Eu te amo! Meu amor...



Poeta

by@xandy

04/12/13



T e A





Sexta Na UsinaPoetas Da Rede: Luiz Alberto Quadros Gonsalves:Violência:



Salta aos olhos a violência

os maus estão ai, presente,

perdemos, aos pouco, a inocência.
Somos arrastados, triste corrente.
Corpo exausto, cansado, com dor;
alma sofrida, temerosa, dormente.
Tão triste
olhar o irmão perdido no vício
caído no chão
ferido
coberto com papelão,
tão frio,
gelado de morte
sem rumo, sem norte,
vazio, sem alma, sem dor
sem sorte.
Em volta ninguém acalma.
Traficante de vidas sem coração.
É tão triste
saber que tudo isto existe
e nada poder fazer,
viver sob fogo cruzado
e ter os braços fechados
educado
a cumprir o silêncio
e vendo o Pobre Inocêncio
caído no asfalto molhado
sem vida.
Salta os olhos a violência
e nós perdemos a inocência.


Autor: Luiz Alberto Quadros Gonsalves



Pensamento do Dia:

“O pré-conceito é uma atitude natural da reação humana, à adversidade do seu próprio meio.”


Esta e mais de 90 outras frases estão nesta edição comemorativa.
Para fazer o download grátis do livro basta clicar no link a baixo: