quarta-feira, 31 de maio de 2017

Pensamento do Dia:





"Quando as palavras ditas são reflexo do mais puro sentimento da alma, nem mesmo toda a eternidade do viver será capaz de apagar"


D'Araújo.

Quarta Na Usina:Poetisas Da Rede:Elaine Coletti:




Sempre que houver alternativas, tenha cuidado. Não opte pelo conveniente, pelo confortável, pelo respeitável, pelo socialmente aceitável, pelo honroso. 

Opte pelo que faz o seu coração vibrar. Opte pelo que gostaria de fazer, apesar de todas as consequências.
OSHO
Por isso que eu vivo livre
O confortável para mim é a verdade
É o que eu quero
Respeito a minha vontade
Assim serei respeitada
Não quero honras
Não quero méritos
Quero ser eu
Sem precisar fugir...
Quero poder olhar no espelho
E me ver feliz
Sem o falso moralismo
Sem esconder o que quero
Faço o que gosto
Consequências sempre vai haver
Boa ou ruim
Com a certeza que fiz 
O que me faz bem
Não fujo
Não me escondo
Meu coração vibra
No compasso da liberdade
De ser eu
Sem falsidade


Elaine Coletti

Quarta Na Usina: Poetisas Da Rede: Ana Monteiro: Suplício:


Ai, como eu quero hoje!
Que lambuze o corpo de óleo, 
me massageie a carne, 
me sinta o cio.
Me desarme, 
me ame.

Não!
Não me ame.
Me chame: 
de puta, de gostosa. 
Me sinta a carne fogosa.
De quatro, na cama, no chão. 
Se demore em mim, 
ponha um fim nesse suplício
Me penetre em cada orifício, 
até que eu me acabe em paixão.

By Ana M.

Quarta Na Usina: Poetisas Da Rede:Patricia Piassa "Pimenta": Sufrágio...:


Amaldiçoada palavra minha... Soa mal e mau ressoa... Pobre Puta na calçada, não se vende e nem se aluga...Por muito se faz Puta e pensam ser por quase nada... E que se vá amaldiçoada palavra minha, por muitos ser escutada... Palavras que não são meros rumores... Que zunem no ar, pois acabou a escravidão... O chicote já não zuni, o que zuni, é o defeito de ser belo sem motivo só na emoção... Minha palavra amaldiçoada traz a menção, do sacrifício de todo sangue do sexo virgem derramado nos altares... Este mesmo sexo que não mais se come, agora este sexo é quem consome os nervos e as carnes dos pobres e coitados homens... O começo foi a luta, coisa bruta para a alma feminina... Que se fortificou nos corações de tantas meninas e mocinhas, fortes guerreiras de uma batalha injusta, que lhes deu a justa medida de se saberem e se valorizarem como mulheres e não como bichos de procria... Acabou o sufragismo, a mulher terminou mais decidida... Já faz tempo que trabalha sem precisar ser a comida... E a coisa toda muda... E minha palavra ainda é amaldiçoada, e precisa falar da discriminação de tanto homem que se ilude no passado e ainda pensa ser machão e não sabe sequer entender a verdadeira situação... Que por macho se tem o bicho, que vive apenas de instinto, este bicho que há muito pela fêmea foi abatido e engolido... Deste engolir de tantas mágoas dos frágeis corpos maculados por porradas, um novo homem foi vomitado, bem comido e ruminado, num novo pensar igualitário... Acabou-se a maldição, que foi passada de mães para filhas, de serem as Putas mães solteiras, condenadas pelas vidas que escolheram e os amores que viveram, apagaram-se as fogueiras... Há muito o que queima numa mulher é apenas o concreto conceito de poder viver o que bem quer... 

Patricia Piassa "Pimenta"

Quarta Na Usina: Poetisas Da Rede: Ana Paula Ribeiro :Amor surreal:


Mesmo distante
Sinto nosso amor
Entre sonhos e realidade

Era raridade deste nossa mocidade 
Mas tudo virou banalidade 
Não era pra ser nem mim
E nem pra você.

Amor de verdade 
Não tem hora e nem local
Nem ponto final.

Entre caminhos muito quiseram-me
Fazer parte de minha vida
Mas vivo apaixonada
Por um ser que me deixou
Mas nada me restou.

Ana Paula Ribeiro 
19/07/2015.
Todos os Direitos Preservados

Quarta Na Usina: Poetisas Da Rede: Elisabeth Gl da Conceição: Me ame:


Profundo, intenso
quente, com
ardor,

atormenta, desorienta
me transforma, me cala,
me perco em você.
Entre palavras, carícias
sorrisos, olhares
perdida estou.
Não pare;
vamos até o luar,
no céu , entre
estrelas 
no brilho do
meu olhar.
Me ame como
amo você,
que seja por 
um momento
seja profundo,
intenso
quente, seja
simplesmente meu
amante.
Somente.

Elisabeth Gl da Conceição